Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Time invicto do Corinthians custa menos que ‘astros’ dos rivais

Gasto da diretoria corintiana para montar grupo foi menor do que valor pago por outros clubes para adquirir apenas um atleta

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

08 Agosto 2017 | 07h00

A falta de recursos fez com que o Corinthians adotasse a filosofia do “bom e barato” para montar o elenco e o resultado tem sido muito acima do esperado por todos no clube. Para formar o time titular, a diretoria gastou R$ 16,8 milhões, menos que alguns rivais investiram apenas em um de seus astros.

Se contar a formação que derrotou o Sport na última rodada, o valor sobe para R$ 20,3 milhões, mas o investimento continua sendo menor do que o feito individualmente por rivais para contratar Lucas Pratto, Miguel Borja e Everton Ribeiro.

O São Paulo pagou R$ 20,7 milhões por 50% dos direitos econômicos do argentino. Já o Palmeiras, com ajuda da Crefisa, sua patrocinadora, investiu R$ 32,5 milhões em Borja. E o Flamengo desembolsou R$ 22 milhões por Everton Ribeiro.

Por outro lado, o Corinthians montou o time titular com Cássio, Fagner, Pablo, Jadson e Jô chegando de graça. E Guilherme Arana e Maycon são da base. Balbuena custou R$ 6,3 milhões, Gabriel saiu por R$ 6,5 milhões e Rodriguinho foi comprado por R$ 4 milhões. Romero foi contratado por R$ 6,8 milhões, valor pago por investidores. 

Na partida com o Sport, o time de Carille contou com Pedro Henrique (da base) na zaga e o atacante Clayson (contratado por R$ 3,5 milhões).

Vale lembrar que esses foram valores convertidos em real na época da negociação. Os dados não levam em consideração o que foi gasto com luvas e comissões para empresários.

Apesar das dificuldades financeiras, a diretoria não pretende se desfazer de nenhum dos jogadores nesta janela de transferência. O clube recebeu ofertas por alguns atletas, mas decidiu só fazer negócio se chegar uma oferta realmente tentadora. Mesmo assim, tentará fechar agora e ficar com o atleta até dezembro. 

Quanto a Pablo, o clube retomou as negociações com o agente do zagueiro, Fernando César, que recentemente disse que as conversas tinham sido suspensas depois de o Corinthians lhe propor pagar a comissão pela compra do defensor em 54 parcelas – ele queria o valor à vista. O jogador foi emprestado pelo Bordeaux até o fim do ano e o Corinthians terá de pagar 1,2 milhão de euros (R$ 4,4 milhões) para ficar em definitivo com ele.

 

Mais conteúdo sobre:
Corinthians futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.