Fabio Motta/AE
Fabio Motta/AE

Tite faz última convocação da seleção brasileira em 2017 nesta sexta-feira

Lista não deve incluir nomes que jogam no Brasil e pode ter novidades dos campeonatos inglês e italiano

Marcio Dolzan, Estadão Conteúdo

20 Outubro 2017 | 07h06

O técnico Tite faz nesta sexta-feira a última convocação da seleção brasileira no ano. Às 11 horas, no Rio de Janeiro, o treinador anuncia a lista de jogadores para os amistosos de novembro contra o Japão, no dia 10, e Inglaterra, quatro dias mais tarde. As partidas serão disputadas em Lille (França) e Londres, respectivamente.

+ Governo quer comparar Temer ao técnico Tite

+ CBF anuncia Brasil x Rússia e fecha amistosos antes de convocação para a Copa

Para os dois últimos jogos da temporada de 2017, a tendência é de que Tite mantenha o que vinha fazendo nas últimas partidas, convocando a base que foi "campeã" das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, e dando chances a poucos novos jogadores.

As novidades, no entanto, dificilmente serão de clubes do Brasil. Isso porque, diferentemente do que vinha acontecendo nas Eliminatórias, o Campeonato Brasileiro não irá parar no período dos amistosos e os jogadores que atuam no País poderiam desfalcar seus times por pelo menos três partidas. E isso justamente em um período de definição do torneio.

Entre os possíveis novos nomes, a expectativa é de que Tite dê chance pela primeira vez ao atacante Richarlison, do Watford (Inglaterra), e ao volante Jorginho, do Napoli.

Com Neymar e Gabriel Jesus absolutos no ataque da seleção, Tite tem promovido rodízio entre os reservas e Richarlison surge como mais nova opção. Com apenas 20 anos e negociado este ano pelo Fluminense, o jogador vem surpreendendo na competitiva liga inglesa. Ele já marcou três gols pelo Watford, que ocupa a quarta colocação no campeonato.

A provável convocação de Jorginho serve para dar um aceno ao jogador, que tem cidadania italiana e é cogitado pela imprensa esportiva do país como possível "reforço" da seleção europeia. A Itália está na repescagem e caso o volante do Napoli seja convocado para as partidas diante da Suécia (oficiais), ele não poderia mais defender a seleção brasileira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.