Pedro Martins/MoWa Press/Divulgação
Pedro Martins/MoWa Press/Divulgação

Tite garante que Alison segue na frente em disputa por vaga no gol da seleção

Em entrevista neste domingo, técnico citou o goleiro da Roma e Weverton, do Atlético-PR, como mais bem avaliados

Estadão Conteúdo

06 Agosto 2017 | 15h02

Tite tem quase todos os titulares definidos da seleção brasileira. Uma das poucas exceções é o goleiro, posição que tem uma série de candidatos atuando em alto nível, tanto que o auxiliar Taffarel visitou alguns clubes para acompanhar de perto o trabalho dos jogadores.

A expectativa, assim, é de que existam novidades na convocação da próxima quinta-feira, para as partidas contra o Equador e a Colômbia pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018. Mas, apesar da possibilidade, algo deve permanecer inalterado: Alison seguirá como titular. Foi, ao menos, o que garantiu o próprio Tite neste domingo.

Mesmo que Alison jamais tenha se consolidado na Roma, o treinador assegurou que ele segue na frente na disputa pela posição. "Tem um pezinho mais na frente. Por que tem um pezinho mais na frente? Porque ele participou de uma sequência toda de jogos, e bem. E nessa participação há também a avaliação do Taffarel", explicou o técnico em entrevista à Rede Globo, elogiando também o nome de Weverton, do Atlético Paranaense.

Outro jogador enaltecido pelo técnico foi Diego Souza, meia do Sport que tem sido convocado para atuar como um "falso 9" na seleção. "Sabe o que o Diego Souza tem? Ele pensa na mesma sintonia de Neymar, Coutinho, Willian, Gabriel Jesus. Ele pensa na mesma sintonia. Atacante de movimentação, um atacante mas com liberdade de movimentação."

Tite falou ainda sobre o bom momento na seleção e avaliou que tem condições de conversar sobre futebol com qualquer treinador do mundo. "Não sei em que lugar estou, mas me sinto muito tranquilo em fazer o treinamento ou sentar em uma mesa e dizer assim: 'Vamos falar taticamente? Vamos. Vamos falar no aspecto psicológico do atleta? Vamos. Vamos falar do aspecto físico do atleta, de quantificação de carga? Vamos'. Me sinto sim, muito tranquilo para fazer este debate, com qualquer que seja o viés do futebol", afirmou.

Questionado sobre a declaração de Renato Gaúcho no ano passado, de que técnico bom não precisava estudar, Tite contemporizou, elogiou o comandante do Grêmio e explicou que existem duas formas distintas de encarar o futebol - e as duas podem viver conjuntamente.

"Existe espaço para as duas formas de tu encontrar excelência, quando eu digo excelência é tu buscar o teu melhor possível", avaliou Tite. "Eu necessito estudar. E o Renato, para mim, é um caso atípico, é um cara que tem uma capacidade de percepção impressionante. E que dentro do Grêmio é uma idolatria que empresta à equipe um respaldo, ele sustenta a equipe com o torcedor."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.