CHRISTOPHE PETIT TESSON/ EFE
CHRISTOPHE PETIT TESSON/ EFE

Torcida rival vive 'Neymarmania' na estreia do craque pelo PSG

Fãs do Guingamp, na região da bretanha, lotarão os 18 mil lugares do estádio Roudourou para acompanhar o primeiro jogo do brasileiro com a camisa do clube parisiense

Andrei Netto, enviado especial à França, O Estado de S.Paulo

13 Agosto 2017 | 15h16

A "Neymarmania" não é privilégio dos torcedores do Paris Saint-Germain (PSG) na França. A julgar pela mobilização e pelo entusiasmo dos torcedores do Guingamp, primeiro adversário do clube parisiense na noite de domingo, a febre em torno da chegada do brasileiro também vai incluir seus rivais ao longo da temporada. Na pequena de 7 mil habitantes situada na região da Bretanha, no extremo leste do país, o astro da Seleção foi pela primeira vez objeto de todas as expectativas.

Se fosse pelo desejo da direção do PSG, Neymar teria estreado diante de sua torcida, no Parque dos Príncipes, em Paris, no sábado passado, diante do Amiens. Mas com a demora do Barcelona em enviar a documentação à Real Federação de Futebol da Espanha, a Federação Francesa de Futebol (FFF) só pôde confirmar a inscrição do atleta na quinta-feira. Com isso a estreia do astro brasileiro, contratado por € 222 milhões (R$ 820 milhões) junto ao Barcelona, acabou remarcada para a segunda rodada do Campeonato Francês.

A sorte acabou do lado dos torcedores do modesto Guingamp, time da cidade de 7 mil habitantes com o mesmo nome. Para o jogo da noite de domingo, todos os 18 mil ingressos foram vendidos e, contando também com a presença em massa de jornalistas e de convidados, o clube bateu o recorde de público do estádio Roudourou. Melhor para os torcedores do rubro-negro bretão, que vibravam com o privilégio de ver um PSG completo, incluindo a estrela brasileira, confirmada pelo técnico Unai Emery. 

Ver Neymar estrear pelo PSG caiu como uma luva para torcedores como Yanick Rullier, 44 anos. Torcedor do Guingamp desde a temporada de 1993-1994, quando o pequeno time realizou uma das melhores campanhas de sua história, Rullier comprou ingressos para levar seu filho, Evan, de 14 anos, torcedor do clube de Paris, para conhecer o craque. "É uma grande sorte ver Neymar jogar contra o Guingamp. Todas as câmeras se voltaram à cidade", comemora. "É um privilégio vê-lo jogar e eu gostaria que ele fosse ovacionado, afinal é um dos três melhores jogadores do mundo, senão o melhor."

Segundo Rullier, Neymar é saudado pela torcida rubro-negra independente da camisa que veste. "Guingamp é um clube familiar, os apoiadores são amigos entre si. Mesmo na derrota não o abandonamos nunca, e não vaiamos jamais. Se perdêssemos por 5 a 0, ninguém vaiaria Neymar ou o PSG", garante.

Evan, o filho, foi um dos primeiros a chegar ao estádio Roudourou, à espera da estreia. "Antes eu torcia pelo Barcelona, mas escolhi o PSG depois de crescer. O clube tem um objetivo claro, é diferenciado. É um grande clube, que agora conta com uma estrela à altura, Neymar », diz ele. "Meu ídolo era Cavani, mas agora com Neymar é demais. Ele vai marcar muitos gols pelo PSG."

Mas, claro, entre torcedores do PSG a euforia é maior desde a chegada do craque. Muitos deixaram Paris, a quase 500 quilômetros de distância, para tentar a sorte de conseguir um ingresso para o confronto que marcaria a estreia do novo ídolo. Teddy Salmani, 28 anos, veio da cidade de Fleur, na Normandia, para o confronto. Torcedor fiel, já tinha ingresso antes mesmo da contratação do brasileiro. "Agora ficou muito bom! Neymar vai virar o rei do PSG", entusiasma-se. "No nosso clube ele vai poder se tornar o melhor jogador do mundo. Só precisa ganhar a Liga dos Campeões ou a Copa do Mundo pelo Brasil. Pode acontecer, por que não?"

Patrice Omodeim, 47 anos, não deu a mesma sorte. Três horas antes do jogo, vagava pela rua principal da cidade de Guingamp em busca de um cambista que lhe vendesse ingresso por um preço acessível. "Estou em férias em Guingamp há três semanas, sou torcedor do PSG e agora tem o Neymar para ver jogar", diz ele, justificando a procura pelos cambistas, que cobravam entre € 50 e € 60 – entre R$ 190 e R$ 225 – pelo ingresso mais barato. "Neymar é jovem, tem 25 anos, é um grande jogador. Além dele, temos outros grandes, como Cavani. Acho que ele vai fazer uma grande temporada."

Mais conteúdo sobre:
futebol Neymar Paris Saint-Germain

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.