Vincenzo Pinto/ AFP Photo
Vincenzo Pinto/ AFP Photo

Totti se despede da Roma com vitória, homenagens e vaga na Liga dos Campeões

Aos 40 anos, ídolo entrou apenas no segundo tempo e viu equipe garantir triunfo no fim

Estadão Conteúdo

28 Maio 2017 | 16h14

Não poderia ser mais dramática e emocionante a despedida do ídolo Francesco Totti da Roma. Aos 40 anos, o craque entrou aos 8 minutos do segundo tempo da partida contra o Genoa - pela última rodada do Campeonato Italiano - e ajudou o time a vencer o adversário por 3 a 2 e garantir uma vaga na fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa.

A camisa do time foi confeccionada especialmente para a ocasião. O uniforme tinha um detalhe na manga para homenagear o ídolo: um número 10 com a imagem de Totti. Mas o time da cidade portuária de Gênova não se apequenou.

A equipe foi uma oponente muito difícil e chegou a igualar o marcador duas vezes, quase estragando os planos da Roma, que precisava da vitória para confirmar um lugar na principal competição europeia, já que o Napoli, adversário direto, vencia a Sampdoria - a partida terminou 4 a 2 para os napolitanos.

No primeiro tempo, a equipe de Nápoles abriu 3 a 0 de frente com Driens Mertens, Lorenzo Insigne e Marek Hamsik. Fabio Quagliarella descontou antes do fim da primeira etapa: 3 a 1. Na segunda parte da partida, Callejon (para o Napoli) e Alvarez (para a Sampdoria) deram números finais ao duelo: 4 a 2.

A Roma terminou o Italiano como vice-campeão com 87 pontos (quatro atrás da Juventus, hexacampeã nacional). Já o Napoli finalizou a competição em terceiro lugar, com 86 pontos. Juventus e Roma entrarão direto na fase de grupos da próxima Liga dos Campeões, enquanto o Napoli terá de jogar um playoff para ingressar neste mesmo estágio da competição continental.

Atalanta e Lazio, respectivos quarto e quinto colocados no Italiano, respectivamente, entram na Liga Europa. O Milan, que terminou o campeonato em sexto, terá de disputar um playoff por vaga neste mesmo torneio europeu.

Apesar de toda a festa romanista fazia mesmo antes do apito inicial, foi o Genoa que surpreendeu logo na abertura da partida. Aos 2 minutos, em um contra-ataque muito rápido, o atacante Pietro Pellegri, de apenas 16 anos, recebeu lançamento e, mesmo pressionado pela zaga, bateu firme para as redes: 1 a 0.

O autor do gol - ainda adolescente - quebrou o recorde do atacante da Juventus Moise Kean, de 17 anos, estabelecido neste sábado, quando havia se tornado o primeiro jogador nascido nos anos 2000 a marcar no Campeonato Italiano. Kean, filho de um casal marfinense, fez o segundo gol da vitória da equipe de Turim sobre no Bologna, de virada, por 2 a 1.

Mas, mesmo com o susto, a Roma não demorou muito para igualar o marcador. O bósnio Dzeko recebeu um passe na área, matou no peito e chutou no canto. A bola bateu na trave, mas o atacante conseguiu aproveitar o rebote e empurrou para o gol - de barriga: 1 a 1. E a primeira etapa terminou empatada.

A torcida romanista foi ao delírio aos 8 minutos do segundo tempo, quando Totti entrou no lugar de Salah, já com a braçadeira de capitão. E o craque não foi apenas um figurante na própria festa. Aos 19 minutos, ele deu um belo passe para a finalização do meia Strootman com muito perigo para o gol.

O volante Daniele De Rossi marcou aos 28 minutos e tirou o time romanista do sufoco. Ele recebeu passe de Dzeko e chutou forte para o gol. O ídolo Totti estava do lado, em condições também de atirar para o gol: 2 a 1. Só que aos 33, o goleiro da Roma, Szczesny, saiu mal pelo alto, a zaga não cortou e Lazovic subiu para empatar mais uma vez: 2 a 2.

A Roma ainda levaria mais um grande susto aos 36 minutos, quando, em um contra-ataque fulminante, o mesmo Lazovic entrou sozinho na área e carimbou a trave do goleiro romanista.

Mas, para finalizar o jogo como em um roteiro cinematográfico, aos 44 minutos do segundo tempo o argentino Diego Perotti recebeu passe de cabeça de Dzeko, dentro da arena genovesa, e bateu forte para estufar as redes e decretar a vitória da Roma. Fim emocionante de uma carreira totalmente dedicada ao clube.

Francesco Totti faz parte da história do futebol italiano. Ele chegou ainda garoto ao time que ele defendeu por 24 anos. Estreou na equipe profissional no dia 28 de março de 1993. Foram 25 temporadas, todas com a camisa da Roma, pela qual acumulou 785 jogos e 307 gols.

Pela Roma, Totti conquistou o título do Campeonato Italiano da temporada 2000/2001, duas vezes a Copa da Itália (2006/2007 e 2007/2008) e duas vezes a Supercopa da Itália (2001 e 2007). Pela seleção nacional, participou da conquista do tetracampeonato na Copa do Mundo de 2006, na Alemanha.

MUITAS HOMENAGENS

Além de findar a sua longa trajetória com a Roma de forma positiva, Totti recebeu uma série de homenagens neste domingo. Até na camisa do Genoa foi escrita a seguinte mensagem: "25 temporadas com uma única camisa, 705 jogos, 307 gols, campeão do mundo em 2006. Francesco Totti é parte da história do futebol".

Depois do jogo, uma enorme camisa 10 com o nome de Totti foi aberta no centro do campo, enquanto todos os jogadores da Roma vestiram camisas também ostentando o nome do ídolo. Já nas placas de publicidade na beira do campo foi exibida a mensagem "Obrigado, capitão".

Totti, por sua vez, caminhou em volta da pista de atletismo que fica em torno do campo do Estádio Olímpico carregando nos braços a filha Isabel em seus braços, com os seus outros dois filhos e a esposa Ilary Blasi o acompanhando. E em certo momento, o astro parou e se apoio das placas de publicidade e apenas olho para as arquibancadas. Em seguida, emocionado, chorou nos ombros de Ilary.

O ídolo ainda recebeu do clube um quadro com extremidades em dourada e o número 10 ao centro, acima de frases em homenagem. Após receber a homenagem, o astro exibiu o quadro para a torcida, que também carregava centenas de placas com o nome Totti e o número 10. Foi um adeus de gala do grande astro da história do clube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.