Tony Gentile / Reuters
Tony Gentile / Reuters

Uefa indicia presidente da Roma e dirigente diz estar 'morrendo de rir'

Jim Pallotta diz que árbitro de vídeo é necessário para evitar erros como os que ocorreram na última quarta, 02/05

Estadão Conteúdo

04 Maio 2018 | 12h46

O presidente da Roma, Jim Pallotta, foi indiciado nesta sexta-feira pela Uefa e poderá ser punido pelos seus comentários sobre as decisões da arbitragem no jogo que culminou na eliminação da sua equipe na Liga dos Campeões da Europa pelo Liverpool, nas semifinais - o time venceu o confronto por 4 a 2 na quarta-feira, no Estádio Olímpico, mas caiu por ter perdido o duelo de ida por 5 a 2.

+ Liga dos Campeões: Kiev assistirá a uma decisão de R$ 6,3 bilhões

+ Klopp minimiza derrota e diz que Liverpool 'mereceu 100%' a vaga na final da Liga

A Uefa explicou nesta sexta-feira que Pallotta foi acusado de "conduta imprópria" e poderá ser multado. A comissão disciplinar da entidade vai avaliar o caso do dirigente em 31 de maio, após, portanto, o Liverpool enfrentar o Real Madrid na decisão, que está marcada para o dia 26, em Kiev.

"Estou surpreso com a abertura deste procedimento disciplinar", disse Pallotta, à imprensa italiana, nesta sexta. "Para mim, é a conduta da Uefa que é inapropriado. O que eu acho? Eu estou morrendo de rir", acrescentou o dirigente.

Pallotta exibiu irritação com as decisões da arbitragem contra sua equipe na última quarta, incluindo um pênalti não marcado no segundo tempo por um toque de mão na bola dentro da grande área por Trent Alexander-Arnold, do Liverpool, em lance com El Shaarawy, da Roma. Além disso, o dirigente reclamou de um impedimento de Dzeko.

Entre os seus comentários, Pallota desafiou a Uefa a adotar rapidamente o árbitro de vídeo para revisar lances importantes, caso contrário "casos como este se tornarão uma piada total".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.