1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Uefa não reconhece jogos de times da Crimeia na Rússia

Estadão Conteúdo

22 Agosto 2014 | 13h 50

A Uefa anunciou nesta sexta-feira que não reconhecerá os jogos disputados por equipes da Crimeia em competições organizadas pela Federação Russa de Futebol (RFS). O Painel de Emergência da entidade europeia decidiu tomar a decisão devido à "situação política complexa" da região, como informou em comunicado oficial.

A região da Crimeia fazia parte da Ucrânia até o início deste ano, quando foi anexada pela Rússia. A união gerou uma guerra entre ucranianos e russos e o clima de tensão ainda toma conta da região. Além disso, ela ainda não é reconhecida por boa parte dos países. Enquanto não há uma solução para o caso, a Uefa decidiu se posicionar.

"Até que seja encontrada uma solução negociada em relação aos acontecimentos na Crimeia, o Painel de Emergência da Uefa decidiu, esta sexta-feira, que todos os jogos disputados por clubes da Crimeia em competições organizadas pela Federação Russa de Futebol (RFS) não serão reconhecidos pela Uefa até novo aviso", explicou.

Três clubes da Crimeia, o TSK Simferopol, SKCF Sevastopol e Zhemchzhina Yalta, já estrearam semana passada na Copa da Rússia. Além disso, foram incluídos na terceira divisão do Campeonato Russo, o que deve ser desconsiderado pela Uefa. A entidade, no entanto, garante que a medida não tem a intenção de impedir que esses times atuem.

"A Uefa não tem a intenção de impedir os clubes de competirem. Pelo contrário, a Uefa considera que o futebol pode ter efeitos muito positivos e benéficos para unir as pessoas, especialmente em tempos de conflitos e de agitação. No entanto, para que o futebol possa ser disputado num enquadramento desportivo e legal, essa participação tem de estar de acordo com os termos estabelecidos nos Estatutos da Uefa", apontou.

A entidade ainda prometeu buscar uma solução para o caso. "O Painel de Emergência da Uefa solicitou igualmente que a administração da Uefa, em conjunto com a Fifa, facilitem as conversações com os representantes da RFS e da Federação Ucraniana de Futebol (UFF) de forma a encontrar uma solução comum para esta questão."