Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Vasco divulga nota de repúdio a Julio Brant: 'Tentativa de boicote'

Possível novo presidente acusou a administração de Eurico Miranda de tentar prejudicar o clube deliberadamente

Estadao Conteudo

12 Janeiro 2018 | 17h54

O Vasco divulgou nesta sexta-feira nota de repúdio ao candidato à presidência do clube Julio Brant. O comunicado, assinado pelo time cruzmaltino, atacou o concorrente ao cargo por sua entrevista coletiva concedida horas mais cedo, na qual ele já se considerou o novo presidente e acusou a administração de Eurico Miranda de tentar prejudicar o Vasco deliberadamente.

"O conselho deliberativo do Vasco da Gama foi afrontado, na manhã desta sexta-feira, pelas declarações do candidato à presidência do clube, Sr. Julio Brant, que afirmou categoricamente que já é o presidente do Vasco. Tal afirmação foi feita publicamente, em entrevista coletiva à imprensa transmitida por redes sociais para milhões de expectadores", criticou o clube.

+ Julio Brant acusa Eurico de desmanche no Vasco e promete rever decisões

O imbróglio vem desde a eleição realizada em novembro. A chapa de Eurico saiu vencedora, mas apenas graças aos votos da urna 7, que foi impugnada diante das acusações de fraude. Sem estes votos, que foram anulados pela Justiça, a chapa liderada por Brant sairia vencedora.

Uma votação do novo conselho do clube, que deverá acontecer até o dia 22, irá referendar a vitória de Brant caso os votos da urna 7 sejam considerados inválidos, o que é o cenário mais provável. Diante deste cenário, o candidato falou como novo presidente do Vasco e cravou: "O que estou fazendo aqui hoje é tirar o presidente atual e assumir a cadeira dele".

+Vasco tem luz cortada e denúncias de furto em São Januário e troca de acusações

"Em toda a história do clube, nunca se viu tamanho desrespeito aos 300 conselheiros que compõem o colegiado maior, responsável efetivo pelas diretrizes e a gestão do Club de Regatas Vasco da Gama. Pois somente ao conselho cabe a decisão de quem será o presidente. Nunca a um dos candidatos. O Sr. Brant sentou-se na cadeira antes da hora, ignorando as normas que regem a instituição e sua imensa tradição", acusou o clube.

"Indo ainda mais longe em sua desrespeitosa atitude, o senhor Brant afirmou que sabe estar violando o estatuto do clube, ao se proclamar presidente antes da hora, e alegou uma suposta situação de calamidade, numa construção de raciocínio que parece atender mais a um oportunismo eleitoral do que aos reais interesses do Vasco da Gama", completou.

Brant ainda acusou Eurico de agir deliberadamente para desmanchar o elenco do time profissional e até mesmo a estrutura do clube. Ele explicou que registrou um boletim de ocorrência sobre para que a polícia e a Justiça investiguem as informações de que objetos, computadores e equipamentos estariam sendo retirados de São Januário nas últimas horas e alertou os parceiros do Vasco para a situação.

"Em atitude de flagrante tentativa de boicote, o Sr. Brant praticou um ato de terrorismo eleitoral, ao solicitar que fornecedores e parceiros do clube não estabeleçam nenhuma negociação com o clube neste momento, numa clara tentativa de paralisar e inviabilizar a administração. Justamente agora, às vésperas de se iniciar a campanha da Copa Libertadores da América. Sendo assim, o que nos move aqui é uma moção de repúdio às práticas eleitoreiras que não respeitam o Vasco e seus conselheiros", apontou o clube.

Mais conteúdo sobre:
Eurico Miranda Vasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.