Vasco é Vasco!

Zé Ricardo saiu do Flamengo sob descrédito e restaurou o Vasco, que luta pela Libertadores

Ugo Giorgetti, O Estado de S.Paulo

12 Novembro 2017 | 04h00

Quem diria?! O Vasco quase chegando à Libertadores, outros times quase saindo. Isso é o velho futebol. Em primeiro lugar, torço para o Vasco retornar ao seu lugar, isto é, entre os primeiros. Clube cheio de conquistas, nos últimos anos agonizava diante de sua imensa torcida. Agora se recupera.

É verdade que o Vasco é mal comandado por figuras que deveriam já estar fora do futebol. Mas todos os clubes brasileiros, raras exceções à parte, são comandados do mesmo jeito, pelo mesmo tipo de gente. Por isso salto essa parte e passo ao campo, ao time. E o começo da redenção do Vasco foi a contratação de Zé Ricardo. E é por ele que começa minha satisfação pela fase atual do Vasco. Zé Ricardo fez um trabalho muito bom no Flamengo, mas foi esmagado impiedosamente por pessoas que se equivocam quando julgam treinadores e quando atribuem a equipes qualidades imaginárias.

Não adianta “investir”. Certos times investem, mas sem muita lógica, sem muita sorte, o que dá no mesmo. O Flamengo é um deles. O problema é que parte da critica confunde investimento com qualidade e exige do time, portanto, o que geralmente ele não está em condições de dar. Esse procedimento da critica é, em geral, concomitante com o da torcida. Critica e torcida trataram Zé Ricardo com todo o rigor.

O treinador foi massacrado. As críticas começavam antes de o time entrar em campo e se prolongavam por ocasião das substituições. Todas apontadas como erros crassos, e Zé Ricardo finalmente foi enxotado, literalmente, pela torcida flamenguista de modo truculento e desrespeitoso. Expulso da Gávea e esperava-se que o Flamengo mudasse, com a contratação de outro treinador, um respeitável estrangeiro, ainda por cima. O Flamengo não melhorou, provando que não era o treinador o problema, mas o elenco. Os mesmos odiados e vaiados que pareciam uma fixação doentia de Zé Ricardo são utilizados frequentemente pelo novo treinador e hoje o Flamengo luta desesperadamente para ganhar um lugar na Libertadores, e só Deus sabe se vai conseguir sem o auxílio de outros clubes.

O Vasco caminha em sentido inverso. Era um clube que no início do campeonato se dava como certo que ia lutar para não cair mais uma vez. E realmente começou muito mal, como de hábito. Não contratou ninguém para sua reação dentro do campeonato, só Zé Ricardo. E o treinador que saiu do Flamengo sob o descrédito da torcida e de quase toda a critica especializada restaurou o Vasco na tabela e hoje é ele quem luta pela Libertadores. Futebol mais uma vez se prova uma questão de confiança em si mesmo.

O que Zé Ricardo deu ao Vasco, o que conseguiu incutir nos jogadores, foi confiança em si mesmos e na camisa que vestiam. Camisa serve para isso, para em certos momentos lembrar ao jogador dos que vieram antes dele, os que fizeram de suas camisas um mito e de suas conquistas algo possível de repetir. É isso: Vasco é Vasco!

Esse ultimo jogo na Vila, na temível vila do Santos, onde quase ninguém ganha, provou isso. Vasco e Santos já protagonizaram, em Maracanãs lotados, jogos inesquecíveis, para rememorar apenas um, o jogo em que Pelé fez seu milésimo gol, e a partida parou para o Maracanã inteiro celebrar. Foi entre esses dois times a partida desta semana que finda.

Não foi um a partida entre um Santos favorito e um Vasco acanhado, como nos últimos anos. Foi um clássico, a ressurreição de um grande clássico do futebol brasileiro. E o Vasco ganhou de virada, depois de estar perdendo. Vai continuar assim? Zé Ricardo é mesmo um grande treinador injustiçado, que esperava apenas uma oportunidade para convencer a todos? Eu espero que sim. Acho mesmo que sim. Acredito no Zé Ricardo e acho que a torcida vascaína hoje está inteiramente comigo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.