Érico Leonan | saopaulofc.net
Érico Leonan | saopaulofc.net

Vazamento de informações no vestiário do São Paulo gera preocupação

Cícero explica bronca de Rogério Ceni no intervalo de uma partida e acha que o técnico tem tudo para dar certo no clube

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

18 Maio 2017 | 07h02

O São Paulo tenta descobrir como um evento no vestiário do clube, no intervalo de uma partida importante, veio à tona e virou notícia. As broncas do técnico Rogério Ceni nos jogadores acabaram sendo divulgadas e o meia Cícero entende que isso não pode acontecer. "Isso é preocupante, uma coisa dessas não pode vazar. Eu gostaria de saber quem passou a história", disse.

Tudo aconteceu depois que o São Paulo tomou o segundo gol do Corinthians, nos acréscimos do primeiro tempo, na partida que ficou marcada pelo gesto de fair play de Rodrigo Caio. Ceni chegou no vestiário muito irritado com o descuido da equipe e chutou um quadro que usa para escrever informações. O objeto resvalou no pé de Cícero e, após o incidente ser revelado, o atleta optou por se manifestar.

O jogador fez coro a outros líderes do elenco que recentemente defenderam o trabalho de Ceni e garantiram que não existe grupo rachado no São Paulo. O zagueiro Rodrigo Caio falou sobre o tema e o volante Jucilei também foi enfático, dizendo que existe muita mentira ao se falar do que acontece nos vestiários do clube.

Neste momento turbulento, os jogadores estão motivados para tentar dar a volta por cima e mostrar que o São Paulo não está morto na temporada. "Temos de botar os pés no chão, calçar as sandálias da humildade e trabalhar. Com certeza estamos com o Rogério. Querem arrumar um culpado, mas temos de parar com isso daí. Precisamos melhorar no Campeonato Brasileiro", explicou Cícero.

O meia lembra que o time tem tudo para retomar o caminho das vitórias e das boas atuações que marcaram o início de ano do São Paulo. "Todo mundo falava do trabalho do Rogério no início da temporada, mas a gente sabe que as eliminações pesam. Temos de chamar o torcedor para nos apoiar, blindar os mais novos e sabemos que não está bom no momento, mas o método de trabalho do Rogério é muito bom. A longo prazo vai dar muito o que falar ainda", avisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.