1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Vereador corintiano pode ser preso após briga de torcida

Estadão Conteúdo

18 Agosto 2014 | 21h 13

César Faustino é acusado de ter agredido torcedores do Palmeiras durante uma briga em Franco da Rocha, Grande São Paulo

O vereador de Francisco Morato (SP) e candidato a deputado estadual Raimundo César Faustino (PT), mais conhecido como Capá, pode ter a sua prisão decretada nesta terça-feira por tentativa de homicídio. Ele é acusado de, no último domingo, ter agredido palmeirenses com um galho de árvore durante briga perto da Estação da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), em Franco da Rocha, na Grande São Paulo. Gilberto Torres Pereira, de 30 anos, passou por cirurgia neurológica no Hospital Estadual de Franco da Rocha e está internado. Seu estado de saúde é considerado grave.

Capá é sócio da Gaviões da Fiel, principal torcida organizada do Corinthians, desde 1988 e acumula cargos de liderança na facção nos departamento de Bandeiras e Social, além do Conselho Deliberativo. No ano passado, ele foi flagrado agredindo um policial militar durante uma briga entre corintianos e vascaínos no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Por causa do seu envolvimento na confusão, chegou a ser suspenso dos estádios de todo o País por 90 dias. Corinthians e Vasco foram punidos com a perda de quatro mandos de campo cada.

No último domingo, corintianos que voltavam de um festa encontraram com palmeirenses que estavam indo para o estádio do Pacaembu acompanhar o clássico contra o São Paulo. Seis dos torcedores foram detidos, sendo dois corintianos e quatro palmeirenses. A CPTM alega não ter informações da briga porque a confusão aconteceu no entorno da estação e não dentro do local.

Os dois corintianos (Capá e Leonardo Gomes dos Santos, de 28 anos) foram denunciados por tentativa de homicídio, rixa qualificada e provocar tumulto. Já os palmeirenses são acusados de lesão corporal, rixa qualificada e provocar tumulto.

Nesta segunda, Capá foi à delegacia de Franco da Rocha prestar depoimento. Com o rosto coberto por um capuz, ele não falou com os jornalistas nem na entrada nem na saída do local. A delegada Rafaela Aceto deve finalizar nesta terça o inquérito para encaminhar para a Justiça pedindo a prisão preventiva do vereador.

No ano passado, quando foi flagrado dando um pontapé em um policial no Mané Garrincha, o corintiano culpou o tratamento dado aos torcedores no estádio. "Infelizmente, a gana comercial pelo lucro está mudando a cultura do futebol de forma arbitrária e teremos que conviver com esses absurdos causados pelas ações feitas sem preparo. Falam que Torcidas Organizadas estão acabando com o futebol brasileiro, mas não creio nisso. Acredito que os maus tratos aos torcedores, os preços abusivos dos ingressos, estacionamentos e alimentação, dentre muitos equívocos, é que estão acabando com o futebol", escreveu em nota oficial.