1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Vítima de racismo em março, Arouca reclama de falta de punição

O Estado de S. Paulo

28 Agosto 2014 | 23h 19

Volante do Santos contesta insultos contra o goleiro Aranha no Sul e pede atitudes mais duras para evitar a repetição de episódios

O volante Arouca, do Santos, se solidarizou com o colega de time, Aranha, após os insultos racistas sofridos pelo goleiro nesta quinta-feira em jogo contra o Grêmio, em Porto Alegre, pela Copa do Brasil. Arouca passou pelo mesmo problema em março deste ano, em Mogi Mirim, e reclamou: "a gente vive sofrendo isso aí e ninguém toma atitude".

Nos minutos finais da vitória por 2 a 0 sobre o time gaúcho na Arena Grêmio o goleiro Aranha foi alvo de gritos de "macaco" e "preto fedido" por parte da torcida. Depois da partida, Arouca saiu em defesa do colega do time e cobrou punições. " Esperamos que alguma autoridade possa tomar uma atitude. Enquanto não houver um ato mais severo, a gente vai continuar passando por esse problema", reclamou o volante.

Em março, pelo Campeonato Paulista, Arouca foi xingado por torcedores do Mogi Mirim ao fim da vitória santista por 5 a 2, válida pela primeira fase. Como punição, o clube do interior paulista precisou pagar uma multa de R$ 50 mil.

Nesta quinta-feira as imagens da transmissão da televisão idenficaram alguns torcedores gritando "macaco". "Nosso sentimento no vestiário é de ficar indignado com a atitude da torcida. Vamos esperar que exista algum avanço nas atitudes, mas não contra o Grêmio, mas sim contra os torcedores", disse o gerente de futebol do Santos, o ex-jogador Zinho.