Zagueiro do Vasco tem dia especial

Autor do segundo gol da vitória do Vasco, por 3 a 1, sobre o Flamengo, pelo Torneio Rio-São Paulo, no domingo, o zagueiro André Leone, viveu nesta segunda-feira um dia especial. Entrevistas e o reconhecimento dos torcedores no prédio onde mora alteraram a rotina do jogador, que chegou a ficar um ano afastado do futebol, por estar envolvido no escândalo dos passaportes falsos, quando atuava pelo Vicenza, da Itália. Leone, de 23 anos, ficou incomodado ao falar do problema do passaporte, mas fez questão de afirmar sua inocência. Segundo ele, seu afastamento do futebol serviu para regularizar sua situação. Como é descendente de italianos, já está com um novo documento em mãos. "Nunca tive nada com passaporte português (o antigo documento tinha Portugal, como país de origem)", exclamou Leone. "Foi um período difícil mas, agora, consegui dar a volta por cima." A escalação de Leone contra o Flamengo foi confirmada momentos antes do confronto, pois o técnico vascaíno Evaristo de Macedo ainda esperava pelo recuperação do zagueiro Géder. Depois da boa atuação, Leone disse estar ainda mais motivado e pronto para disputar uma vaga na equipe titular. O começo difícil no Palmeiras, de São João da Boa Vista, no interior de São Paulo, não foi esquecido por Leone, que ainda passou pelo Campinas, clube do ex-atacante Careca, antes de se transferir para o Vicenza, em 2000. Sobre o futuro, o jogador disse ter o sonho de atuar pela seleção brasileira, mas frisou que seu objetivo, no momento, é o de ajudar o Vasco a conquistar títulos.

Agencia Estado,

11 Março 2002 | 19h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.