Zé Mário está em xeque no Guarani

Há cinco jogos sem vencer no Torneio Rio-São Paulo, o Guarani ficou bem longe de uma vaga nas semifinais. E a corda deve estourar do lado do técnico Zé Mário, que pode perder o cargo se não obter, pelo menos, um empate, domingo, diante do Palmeiras. A diretoria não confirma e o técnico mantém sua rotina dentro do Brinco de Ouro. O gerente de Futebol, Neto Ferreira, passou o dia todo defendendo a permanência do técnico, pois faz parte do planejamento elaborado pela própria comissão técnica e pela diretoria no começo da temporada. "Fizemos mudanças importantes de mentalidade dentro do departamento de Futebol, com redução drástica de salário. No departamento amador também promovemos um reformulação completa." Neto acha que a permanência do técnico é fundamental para o time nos últimos três jogos, inclusive para o derby, contra a rival Ponte Preta, dia 6 de abril. Apesar dos "panos quentes" do dirigente, dois técnicos foram consultados por dirigentes do clube: Zé Teodoro, ex-Rio Branco, e Vágner Benazzi, do Marília. O clima entre os jogadores também está bom, segundo Neto, diminuindo os efeitos das declarações do capitão Edu Dracena, que após a derrota para o Santos, por 2 a 0, na Vila Belmiro, disse que "meia dúzia corre e a outra metade chupa o sangue". O jogador foi chamado à parte pelo gerente que considerou a declaração como ?natural? após uma derrota para um ?grande clube?. ?Ele estava de cabeça quente", resumiu Neto. O elenco ganhou folga nesta segunda-feira e treina em dois períodos a partir desta terça-feira.

Agencia Estado,

25 Março 2002 | 18h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.