Zé Mário ganha respaldo no Guarani

Depois de um início de semana tumultuado, em que o técnico Zé Mário quase deixou o clube, o Guarani se reorganiza para enfrentar o Palmeiras, sábado, em São Paulo. O próprio treinador, fortalecido com o apoio da diretoria, tratou de demonstrar muito otimismo para tentar segurar o líder do Torneio Rio-São Paulo. Zé Mário deixou a diretoria à vontade para decidir seu futuro após a derrota para o Santos, por 2 a 0, domingo, na Vila Belmiro. O time não vence há sete jogos, dois deles pela Copa do Brasil - diante do Paraná Clube. Até alguns técnicos foram consultados para substituí-lo, como Vágner Benazzi, do Marília, e Zé Teodoro, ex-Rio Branco e que acertou com o Santo André. No final, Zé Mário foi mantido, com força inclusive perante o grupo de jogadores. "Está tudo em ordem", desconversou o técnico depois de ter uma conversa aberta com o elenco. "Só deixei claro que eles têm condições de reverter a situação, com aplicação e garra em campo." Zé Mário também não esconde a satisfação de ter em mãos o que ele considera de melhor para enfrentar o Palmeiras. O meia Luiz Fernando Martinez está de volta após cumprir suspensão automática e o meia Marcinho está liberado pelo departamento médico, já recuperado das dores nas costas. O esquema tático também deverá ser o 3-5-2, utilizado durante todo o Rio-São Paulo. Com 16 pontos, o Guarani ocupa a 11ª posição na competição e corre o risco de rebaixamento na próxima temporada. O último paulista na classificação é a Ponte Preta, com 15 pontos, e os dois times se enfrentam na penúltima rodada do torneio.

Agencia Estado,

27 Março 2002 | 17h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.