Marcelo Sayão/EFE
Marcelo Sayão/EFE

Zé Ricardo diz que Fla 'perdeu controle do jogo' e aprova estreia de Vinicius Jr

Rubro-negro empatou com o Atlético Mineiro em casa por 1 a 1 na primeira rodada do Brasileirão

Estadão Conteúdo

14 Maio 2017 | 10h06

O primeiro jogo do Brasileirão 2017 foi de pouco apuro técnico, na avaliação do técnico Zé Ricardo. Para o treinador do Flamengo, a partida contra o Atlético-MG foi de muitos erros e poucos acertos, num saldo ligeiramente negativo para os mandantes. Na sua avaliação, o Flamengo "perdeu o controle do jogo", que terminou empatado por 1 a 1.

"As duas equipes têm jogadores de muita qualidade, mas tecnicamente as equipes não acertaram a maioria das decisões. Perdemos um pouquinho o controle do jogo, mas tivemos grandes oportunidades no final, com Éverton e Guerrero. Eles também", analisou o técnico rubro-negro.

Apesar do empate, após sair na frente no placar, Zé Ricardo considerou o resultado "normal". "Enfrentamos uma grande equipe, grande treinador, jogadores com qualidade fora do normal, grande técnico. Equipe extremamente talentosa que se potencializa com comando do Roger Machado. Claro que queríamos a vitória, poderíamos ter segurado uma vantagem até o final, mas o resultado de hoje pode ser considerado normal dentro do equilíbrio que encontraremos no Brasileiro", comentou.

Zé Ricardo também evitou empolgação ao avaliar a estreia de Vinícius Junior no time profissional do Flamengo. O garoto de 16 anos entrou nos minutos finais da partida e teve poucas oportunidades de mostrar serviço.

"Ele tem muita coisa para dar, legal ele tomar esse carimbo da estreia, mas teremos muita calma para ter um jogador crescendo no momento dele, e não de outras pessoas. Muito jovem, 16 anos, quanto estiver mais adaptado poderá mostrar todo seu potencial. Perfeitamente compreensível ele estar ansioso", declarou.

O técnico fez questão de destacar que a presença do atacante não será constante nas partidas do Flamengo no Brasileirão. "[Sua participação] Foi uma conjunção de fatores. A ideia do clube era trabalhar com ele a partir do Brasileiro. Não pudemos contar com diversos atletas e acabou criando a oportunidade dele entrar no primeiro banco. Era o que mais se aproximava das características do Berrío, mas sem pressão. Apenas estamos trazendo o garoto para vivência no profissional", explicou.

Mais conteúdo sobre:
Flamengo futebol Flamengo Zé Ricardo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.