1. Usuário
Assine o Estadão
assine

A arte de se mexer dentro da água

Paulo Favero - O Estado de S. Paulo

26 Fevereiro 2013 | 13h 24

Objetivo nas competições é chegar mais rápido que os adversários: disputa faz parte dos Jogos Olímpicos desde 1896

SÃO PAULO - A natação é um esporte que consiste em se movimentar dentro da água. Como forma recreativa, existe desde a pré-história. A partir de 1908, com a criação da Fina (Federação Internacional de Natação), as regras passaram a ser colocadas em prática e a modalidade foi ganhando popularidade. Independentemente da distância que se percorre, o principal objetivo desse esporte é ser mais rápido que seus adversários no cumprimento do percurso.

Nos Jogos Olímpicos, a natação existe desde a primeira edição da Era Moderna, em 1896. Na ocasião, houve a disputa de 100 m livre, 500 m livre, 1.200 m livre e 100 m livre para marinheiros. Apenas a primeira sobreviveu ao tempo.

Na Olimpíada, a natação já teve outras provas curiosas, como mergulho em profundidade, 200 m com obstáculos e 880 jardas livre. Atualmente, o programa olímpico inclui 16 provas, com distâncias variando entre 50 m a 1.500 m. Um fator que fez grande diferença nos últimos anos para a quebra de recordes foi o uso de tecnologia nos treinamentos, na construção das piscinas e na confecção dos materiais esportivos. A Fina chegou, inclusive, a proibir o uso de maiôs tecnológicos, que ajudaram a pulverizar muitas marcas nas piscinas.

Para competir, o atleta usa maiô, touca e óculos de natação. É comum também os homens rasparem os pelos do corpo, a fim de diminuir o atrito com a água e ganhar preciosos segundos.

VOCÊ SABIA?

As competições dos Jogos Olímpicos são realizadas em piscinas de 50 m de comprimento, com 2 m de profundidade e dez raias, sendo que apenas oito delas são utilizadas. A temperatura da água é mantida entre 25°C e 28°C.