Aeróbica do País busca reconhecimento

Ser um verdadeiro celeiro de campeões mundiais, mas viver lutando para receber apoio financeiro e reconhecimento. Esta é a realidade da ginástica aeróbica do Brasil, considerada ?prima-pobre? da ginástica artística e da ginástica rítmica desportiva por ainda não integrar o programa dos Jogos Olímpicos. Enquanto a inclusão não acontece, os atletas do País acumulam títulos e fazem o que podem, inclusive morar no exterior, para se dedicar ao esporte. Leia mais no Estadão

Agencia Estado,

25 Agosto 2002 | 12h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.