Divulgação
Divulgação

'Anderson Silva não ficará afastado', afirma Dana White

Presidente do UFC não acredita em longa punição do brasileiro

O Estado de S. Paulo

22 Março 2015 | 18h08

 Anderson Silva não ficará um ano e meio afastado do UFC. Pelo menos é o que garante Dana White, presidente da entidade, que concedeu entrevista coletiva na noite deste sábado, após o UFC Rio 6, desmentindo a informação de que o brasileiro seria punido por 18 meses depois de ser pego no exame antidoping antes da luta contra Nick Diaz.

Pelo que ouvi a audiência foi adiada e não lembro agora a data. Ele vai encontrar com a Comissão Atlética de Nevada e não tenho noção do que eles vão fazer. Tenho visto algumas pessoas falando sobre uma possível punição de 18 meses, mas não acho que isso seja verdade. Não entendo como alguém saberia disso, então é apenas um rumor", disse ele, garantindo desconhecer a punição que será imposta ao brasileiro.

Ainda durante a entrevista, Dana criticou o árbitro Eduardo Herdy, que interrompeu o combate entre Leandro Buscapé e Drew Dober ao achar que o norte-americano havia desistido da luta. "O UFC não pode fazer nada, mas foi horrível e ridículo que alguém ache que aquilo foi uma desistência. Eu, pessoalmente, acho que o resultado deveria ser invertido para Sem Resultado. O árbitro era tão ruim, que o cara estava saindo (da posição) e no topo. Espero que aconteça uma punição, sei como são as comissões".

NOITE À BRASILEIRA

O UFC Rio 6 trouxe Demian Maia de volta ao octógono após um ano, mas coroou também os outros brasileiros do evento. Entre as lutas do card principal e preliminar, apenas uma derrota brasileira em todas as lutas, no combate entre Jorge Blade e o americano Christos Giagos.

Demian Maia não conseguiu finalizar ou nocautear o adversário Ryan LaFlare durante os cinco assaltos, mas foi melhor durante toda a luta. Não por acaso, o brasileiro foi declarado vencedor por decisão unânime. A vitória quebrou uma invecibilidade de onze lutas do americano.

Outro destaque foi para uma das lutas mais esperadas da noite entre Erick Silva e Josh Koschek. Com belos golpes de esquerda, o brasileiro não teve dificuldade para dominar o adversário e antes do fim do primeiro round conseguiu aplicar o estrangulamento no pescoço do rival e garantir a finalização e nova vitória brasileira.

CARD PRINCIPAL

Demian Maia venceu Ryan LaFlare por decisão unânime dos juízes

Erick Silva finalizou Josh Koscheck no primeiro round

Léo Santos finalizou Tony Martin no primeiro round

Amanda Nunes nocauteou Shanya Baszler no primeiro round

Gilbert Durinho finalizou Alex Cowboy no terceiro round

Godofredo Pepey finalizou Andre Fili no primeiro round 

CARD PRELIMINAR

Fredy Serrano nocauteou Bentley Syler no terceiro round

Christos Giagos finalizou Jorge de Oliveira no primeiro round

Leonardo Mafra venceu Cain Carrizosa por decisão unânime dos juízes

Leandro Silva finalizou Drew Dober no segundo round

Kevin Souza nocauteou Katsunori Kikuno no primeiro round

Francisco Trinaldo venceu Akbarh Arreola por decisão unânime dos juízes

Mais conteúdo sobre:
UFC Anderson Silva Dana White Demian Maia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.