Aos 95 anos, morre o major Padilha

O major Sylvio de Magalhães Padilha, que representou o Brasil nas Olimpíadas de 1932 e 1936 além de ter exercido o cargo de presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) por 27 anos, morreu nesta quarta-feira no Hospital Alvorada, em São Paulo, aos 95 anos, de falência múltipla dos órgãos. O corpo será velado no Hall Monumental da Assembléia Legislativa de São Paulo e transferido, às 16h30, desta quinta-feira, para o Crematório de Vila Alpina. Padilha foi o primeiro brasileiro a disputar uma final olímpica de atletismo, em 1932, na prova dos 400 metros com barreiras. Seu recorde brasileiro nos 110 metros com barreiras, 14s80, estabelecido em 1933, durou 18 anos. O major começou a carreira de dirigente em 1938 criando a Diretoria de Esportes do Estado de São Paulo e chegou ao COB em 1963, entidade que comandou até 1990. Como dirigente, foi vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) em 1975 e depois tornou-se membro vitalício da entidade. Também foi vice da Organização Deportiva Pan-Americana (Odepa). O presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, decretou oito dias de luto na entidade e pede às confederações que dediquem um minuto de silêncio em homenagem ao ex-dirigente em eventos esportivos.

Agencia Estado,

28 Agosto 2002 | 18h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.