Matt Dunbar/WSL
Matt Dunbar/WSL

John John Florence vence em Margaret River e assume liderança do Mundial de Surfe

Atual campeão do Circuito Mundial atinge 16.500 pontos na final; Filipinho, melhor dentre os brasileiros, cai na semifinal

Estadão Conteúdo

09 Abril 2017 | 03h39

O havaiano John John Florence mostrou na Austrália por que é o atual campeão do Circuito Mundial de Surfe e um dos principais nomes da modalidade. Neste domingo, ele faturou a segunda etapa da temporada 2017 do circuito, em Margaret River, e assumiu a liderança geral da competição.

Depois do terceiro lugar na primeira etapa, em Gold Coast, também na Austrália, John John chegou a 16.500 pontos na temporada com o triunfo em Margareth River. Ele deixou para trás o australiano Owen Wright, que havia vencido na estreia e foi somente o quinto neste domingo, com 15.200. A terceira colocação é do norte-americano Kolohe Andino, com 12.000.

Para triunfar neste domingo, John John foi quase perfeito e conseguiu cinco notas acima de nove nas três etapas que disputou. O dia do campeão começou com as quartas de final diante do polinésio Michel Bourez, que ele venceu por 18,04 a 15,77.

Na semifinal, o havaiano encarou o australiano Jack Freestone e foi ainda melhor, com direito a uma nota 9,90 e outra 9,37, somando 19,27 contra 10,57 do rival. Na decisão, John John teve pela frente o norte-americano Andino e mais uma vez foi amplamente superior, vencendo por 19,03 a 13,60.

A etapa de Margaret River não foi das melhores para o Brasil, que teve somente dois surfistas competindo neste domingo, e logo se enfrentando nas quartas de final. Filipe Toledo levou a melhor sobre Adriano de Souza, o Mineirinho, por 12,83 a 10,33, mas logo na sequência caiu justamente para Andino, por 15,63 a 15,00.

Agora, o Circuito Mundial de Surfe segue na Austrália, para a terceira e última etapa no país, em Bells Beach. A janela do evento vai da próxima quarta-feira até o dia 24. Depois disso, a competição chega ao Brasil para a disputa no Rio, em Saquarema, em maio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.