1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Baby exalta bronze e crê que um dia ainda baterá Teddy Riner

Estadão Conteúdo

30 Agosto 2014 | 17h 41

Brasileiro acredita que ainda vencerá francês, que está há 67 lutas invicto, mas comemora conquista da medalha de bronze

Medalhista de bronze neste sábado no Mundial de judô, em Chelyabinsk, na Rússia, Rafael Silva, o Baby, valorizou o fato de ter mais uma vez subido ao pódio na história desta competição, na qual obteve a prata no ano passado, no Rio. Ele mais uma vez foi superado pela lenda francesa Teddy Riner na semifinal da categoria mais de 100kg, depois de ter sido batido pelo rival na decisão no ano passado.

Baby enfatizou novamente que Riner não pode ser considerado imbatível, apesar de ter completado 67 lutas invicto na sua carreira e faturado o heptacampeonato mundial derrotando cinco adversários em menos de 9 minutos ao total neste sábado.

Para Rafael Silva, o próprio desempenho do japonês Ryu Shichinohe, que quase surpreendeu Riner na disputa pelo ouro, é um exemplo de que um dia ele poderá superar o francês em uma luta. "Eu acho que foi uma competição importante, mais uma medalha para minha carreira. Consegui lutar com adversários novos, atletas que estão sendo preparados nesse ciclo para 2016. O grande exemplo é esse japonês que é aposta deles para esse novo ciclo", analisou Baby.

Divulgação
Rafael Silva também foi bronze nas Olimpíadas de Londres

Em seguida, Baby lamentou o fato de não ter conseguido surpreender Riner. "É uma pena ter perdido do Riner na semifinal, mas a medalha mostra que o trabalho está sendo bem feito. O japonês é um exemplo de que dá pra ganhar dele. Então, é trabalhar mais um ano e tentar no Mundial do ano que vem de novo", completou Rafael, ao comentar o fato de que Shichinohe conseguiu projetar o francês e quase conseguiu uma pontuação e a vitória sobre o francês.

RINER DE NOVO NO CAMINHO

Encerrada a competição individual, o Mundial de Chelyabinsk terá neste domingo a competição por equipe. As meninas do Brasil vão encarar a Polônia na estreia e os homens enfrentarão a França, fato que coloca Riner mais uma vez no caminho dos brasileiros.

As chaves da disputa por equipes foram sorteadas neste sábado e os judocas brasileiros foram prejudicados pelo mau desempenho no último Mundial, quando a equipe masculina foi eliminada logo na estreia. Assim, eles terão de encarar a forte equipe francesa logo de cara.

Se surpreender a França nas oitavas de final, o Brasil enfrentará o vencedor de Alemanha e Eslovênia nas quartas, enquanto a semifinal poderá ser contra Rússia, Coreia do Sul, Cuba ou Tajiquistão. Já a equipe feminina do País terá pela frente Rússia ou México se passar pela Polônia nas oitavas. Já uma eventual semifinal pode ser contra Cuba, China, Casaquistão ou Mongólia.