Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Bíblia dos atletas ganhou tradução até para o japonês

Publicação tem linguagem descontraída e informal, voltada para os surfistas, mas mesmo conteúdo do livro tradicional

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

26 Fevereiro 2018 | 07h00

Todos os conceitos que orientam a vida dos Surfistas de Cristo estão consolidados na Bíblia do Surfista. Trata-se de uma publicação oficial da Sociedade Bíblica do Brasil com o Novo Testamento em uma tradução baseada na linguagem de hoje. São 752 páginas que trazem exatamente o mesmo conteúdo de uma Bíblia tradicional. “Que relação poderia haver entre o surfe e o cristianismo? Para muitos, essa relação praticamente não existe, mas gostaríamos de convidá-lo a experimentar essa poderosa combinação. Venha surfar conosco e conhecer um pouco mais sobre o criador das ondas”, dizem as primeiras linhas do livro, com acabamento em brochura e uma capa plástica protetora (para não estragar na água do mar).

+ De olho na Olimpíada, empresa reforça time de patrocinados no surfe e skate

A publicação traz vários elementos que mostram o direcionamento da publicação à comunidade do surfe, entre eles, a apresentação, a linguagem descontraída e informal, o planejamento gráfico e visual das páginas de introdução e até uma história em quadrinhos.

Outro diferencial são os depoimentos de surfistas e ex-Surfistas de Cristo do mundo todo, como Bethany Hamilton, Damien e C.J. Hobgood. Entre os brasileiros estão Chico Paioli, representante da primeira geração do surfe paulista na década de 1960; Marcos Santos, o Marquito Santos, ex-surfista formado em Teologia e que atualmente oferece suporte espiritual e emocional para os surfistas no circuito mundial; Jair de Oliveira, tricampeão paulista; Jojó de Olivença, bicampeão brasileiro, entre outros. “Comecei a pegar onda com 11 anos. Minha evolução foi muito rápida e comecei a me destacar como competidor. No entanto, acabei surfando ondas erradas”, reconhece o bicampeão brasileiro em sua página na publicação.

Como o movimento brasileiro está inserido na organização internacional, Marcos Santos mostra exemplares traduzidos para o inglês, espanhol, holandês e até japonês. O lançamento da versão nacional foi uma das principais atrações da 7.ª Conferência Internacional dos Surfistas de Cristo, que foi realizada em Ubatuba, em 2006. Foi a primeira vez que um país da América do Sul abrigou o evento. A edição de 20 mil exemplares está esgotada.

O volume é a base de um trabalho de acompanhamento e conscientização, principalmente para os mais jovens, para alertar sobre a ameaça de drogas e bebedeiras. “Ela é uma das ferramentas que a gente utiliza. Temos também os encontros, as ações sociais e o compromisso com a preservação da natureza”, explica Tadeu Pereira, ex-surfista e pastor da comunidade Semear.

Mais conteúdo sobre:
Surfistas de Cristo surfe Bíblia religião

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.