Brasil recebe judocas de 13 países para treinamento

O judô brasileiro virou referência mundial. Atraídos pela qualidade dos atletas, a hospitalidade e a perspectiva da disputa do Campeonato Mundial no ano que vem, cerca de 240 judocas de 13 países estão reunidos em São Paulo para o maior treinamento de campo da história do País. O grupo ficará reunido por 15 dias para atividades no dojô do Complexo Olímpico do Ibirapuera. O coordenador técnico da seleção brasileira de judô, Ney Wilson, contou que está difícil dar conta dos muitos pedidos de delegações estrangeiras para treinar no Brasil. ?Nós recebemos a França e o Japão, que são as duas maiores potências do esporte, e isso chamou a atenção de outros países. Fora isso, também teremos o Campeonato Mundial no País no ano que vem (em setembro, no Rio)?, explicou. No Ibirapuera estão treinando as delegações da Inglaterra, Alemanha, Áustria, Finlândia, Portugal, República Checa, Eslovênia, Eslováquia, Chile, Venezuela, República Dominicana, Uruguai e México. Segundo o técnico da equipe portuguesa, Antônio Matias, motivos não faltam para treinar no Brasil. ?São muitas as vantagens: um judô de alto nível que luta tão bem no chão quanto em pé, um lugar onde nos sentimos confortáveis e também a perspectiva de disputa do Mundial aqui, no ano que vem?, afirmou. Frank Heinze, integrante da comissão técnica da seleção alemã, também enumera motivos para trocar a Europa pelo Brasil para treinar. ?Aqui os judocas tem o mesmo estilo do judô japonês, com acréscimo de outras técnicas. Fora isso, o Brasil conta com um bom número de judocas que lutam em diversos estilos?, avaliou.

Agencia Estado,

26 Setembro 2006 | 19h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.