1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Brasileiros preveem dura 'maratona' no vôlei de praia

AE - Agência Estado

10 Junho 2014 | 13h 37

Serão cinco campeonatos de Grand Slam consecutivos na Europa, sendo que em três o intervalo máximo será de dois dias. É com esse panorama que as duplas brasileiras masculinas e femininas do vôlei de praia se preparam para uma verdadeira "maratona", que começará já nesta quarta-feira, com o início das disputas em Moscou, em mais uma etapa do Circuito Mundial.

"Nos preparamos para este período, pois sabemos que será uma sequência grande de jogos importantes contra as melhores duplas do mundo. Os Grand Slams são a oportunidade de aumentar bastante a pontuação e estamos focadas nisso, já que o campeonato ainda está bem embolado, com as duplas bem próximas umas das outras. Corrigimos detalhes nos treinamentos e vamos colocar em prática para evoluirmos cada vez mais", declarou Maria Elisa. Ela e Juliana estão na terceira colocação do ranking, a 60 pontos das líderes Fan Wang e Yuan Yue, da China.

Além de Maria Elisa/Juliana, que sairá do qualifying, o Brasil será representado na chave feminina na Rússia pelas duplas Talita/Taiana, Maria Clara/Carol e Ágatha/Bárbara Seixas. No masculino, Ricardo/Álvaro Filho, Pedro Solberg/Emanuel e Evandro/Vitor Felipe estão garantidos na fase de grupos, enquanto Alison e Bruno Schmidt disputarão o qualifying.

Depois de Moscou, o Circuito Mundial parte para as etapas de Berlim, na Alemanha, Stavanger, na Noruega, Gstaad, na Suíça, e Haia, na Holanda. Paralelo a essa maratona em terras europeias, os jogadores ainda admitem a preocupação com a Copa do Mundo de futebol, que estará acontecendo no Brasil.

"É impossível não pensar em Copa do Mundo, claro, o País está vivendo esse momento, ansioso pelo Mundial. Estamos na torcida pela seleção brasileira, acredito muito no grupo que vai disputar o Mundial, que estamos no caminho certo para o hexacampeonato. Se o Brasil chegar à decisão, vamos ver a final na Suíça... Mas precisamos focar no Circuito Mundial e é isso que estamos fazendo", afirmou Bruno Schmidt.