1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Burle pode faturar prêmio de maior onda do mundo junto com fotógrafo

Denise Bonfim - O Estado de S. Paulo

01 Maio 2014 | 14h 48

Onda surfada pelo brasileiro e registrada por Tó Mané pode ter superado os 30 metros de altura

SÃO PAULO - Fotógrafo de uma das ondas mais impressionantes da temporada, Tó Mané está otimista para o XXL Biggest Wave Award, premiação que ocorre nesta sexta-feira, na Calífórnia, e elege as maiores ondas surfadas na temporada. Ele registrou o feito do brasileiro Carlos Burle em Nazaré, Portugal, que, segundo cálculos não oficiais, pode ter ultrapassado os 30 metros e, assim, surfado a maior onda do mundo.

"É o segundo ano consecutivo que estou com uma foto no concurso. O fato de estar na final para mim já é uma vitória", diz Tó Mané. O título premia o fotógrafo e o surfista, que ainda pode entrar no livro Guinness dos recordes. Burle teria superado com folga o norte-americano Garrett McNamara, que atingiu a marca de 23,77 metros em outra oportunidade.

Aquele dia de outubro do ano passado havia sido de sustos na Praia do Norte. Horas antes de Burle pegar a tão sonhada onda, a surfista carioca Maya Gabeira, 26 anos, pegou uma das maiores ondas de sua vida, mas caiu e chegou a ficar desacordada na areia. Tó Mané relembra os momentos de tensão. "As ondas estavam gigantescas, foi um dia muitas emoções. A Maya Gabeira estava ainda muito mal, e o Carlos Burle pegou aquela onda mesmo assim. Foi uma grande onda", define.

Com o mau tempo em Nazaré, a preparação para as fotografias foi diferente para Mané. "Chovia torrencialmente, e é por isso que não tenho tantas fotos e vídeos. Nesses dias eu sempre acordo o mais cedo possível para estar na praia antes, preparar o material, mas aquele dia o tempo estava muito encoberto, fechado mesmo", completa. Pelas condições críticas, nem mesmo McNamara se arriscou a entrar no mar.

Miguel Moreira, professor da Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa fez um estudo científico para tentar desvendar o tamanho do mar no momento em que Burle surfava, e chegou à conclusão de que a onda do pernambucano media entre 32 metros e 35 metros. "Para calcular a altura da onda, utilizamos a média da distância entre a crista e a base, medida em diferentes momentos da viagem na onda, com o mínimo de dez recortes em diferentes fotogramas do vídeo utilizado, desde o drop até à finalização", conta o especialista.

Apesar da tecnologia usada, o público só conhecerá o resultado na noite desta sexta. Nem mesmo o professor Moreira com seus sistemas e softwares consegue precisar a altura real da onda. "Medimos em função da base da onda, que não é muito explícita tendo em consideração a sua inclinação e o percurso da rebentação".

Forte concorrente, Tó Mané coloca seu trabalho com Burle ao lado de Andrew Cotton, também em Nazaré, como favoritos ao prêmio - e consequentemente ao recorde mundial. "Todas as ondas estão muitos próximas uma das outras, mas no meu olhar, as favoritas são de Burle e de Andrew, que parecem as maiores", conclui.