Assine o Estadão
assine

Esportes

Inovação Olímpica

Tênis ajuda a melhorar a performance, diz especialista

Modalidade busca calçado cada vez mais leves para corredores

0

Gustavo Zucchi, especial para o Estado,
O Estado de S. Paulo

17 Fevereiro 2016 | 10h00

Assim como na natação, os recordes mundiais do atletismo tem caído de maneira vertiginosa. Para citar apenas duas das provas mais conhecidas, nos 100m rasos, Usain Bolt passou da sua marca de 9s72, conquistado em maio de 2008, para 9s58 em agosto de 2009. Na maratona, o tempo da prova caiu três minutos desde o começo deste século: passou de 2h05m38s do norte-americano Khalid Khannouchi, na prova de Londres, em 2002, para 2h02m57s do queniano Dennis Kimetto, na maratona de Berlim em 2014. Dentre as novidades que estão auxiliando a melhora da performance dos corrdores, de curto e longo tiro, está um item indispensável para quem gosta de correr: o tênis.

"Cada esporte ou cada modalidade, o calçado tem uma característica específica. Em alguns casos, o calce perfeito e o conforto são importantes. Em outros, a leveza e o solado são essenciais. Portanto, o calçado certo pode auxiliar o atleta a melhorar sua performance nos campos, quadras ou pistas", explica o Head de Produto da ASICS Brasil, Roberto Shizuo. Para os competidores, trata-se de um detalhe que pode fazer a diferença na chegada, sobretudo pelos segundos cravados entre um atleta e outro.

A ASICS, assim como outras marcas que trabalham fornecendo equipamento para atletas de elite, desenvolve tênis de forma semelhante. Os corredores são estudados e as necessidades de cada modalidade, detalhadas em planilhas para a confecção do produto, de modo que ao criar um novo tênis, ele será não apenas especialmente desenvolvido para o atleta em si, mas para seu esporte. As grandes marcas que fornecem chuteiras para o futebol já avançaram nesse processo. Há chuteiras moldadas para os pés dos grandes jogadores, exclusivamente.

"Com todos os resultados dos testes e provas em mãos, os engenheiros e desenhistas iniciam então o processo de desenvolvimento do produto", disse Shizuo. "Especificamente no atletismo, em muitas modalidades a leveza é característica fundamental para melhores tempos. Nesse caso, buscamos materiais mais leves e com melhor calce no pé." 

FUTURO

Mas até onde irá o aumento da performance causado pelos tênis? Será, que assim como aconteceu com os supermaiôs na natação, as empresas possam criar uma vantagem indevida? A resposta é simples: não é o objetivo da indústria, diz Shizuo. "Cada vez mais, podemos ver que a tecnologia está muito avançada e, em alguns casos, criando um diferencial enorme nas pistas. A ideia, com os calçados superpotentes, não é criar produtos que possam dar vantagem adicional, mas sim usar a tecnologia para auxilar o atleta a chegar ao seu maior potencial."

Mas este aumento de performance não é concesso. Nos Estados Unidos há uma corrente que defende que quanto maior a liberdade e o contato do pé com o chão, melhor para o corredor. A justificativa seria que com o tênis, o primeiro contato do pé com o chão é com o calcanhar, enquanto descalço os dedos e a parte dianteira do pé recebem o impacto antes, o que impulsionaria o atleta.

Nessa disputa pelos pés dos esportistas, foi desenvolvido um calçado especial, chamado FiveFingers, que serve basicamente para evitar que os pés sejam machucados por pequenos detritos nas pistas, deixando a mobilidade como se não houvesse tênis nenhum. A sensação que se tem é a de correr descalço. Nos Jogos Olímpicos do Rio, todos estarão de olho nos pés de Ulsain Bolt, o homem mais rápido de mundo. 

Comentários