"Caso Fabiane" cria polêmica na CBAt

A absolvição da meio-fundista Fabiane dos Santos das acusações de doping, segunda-feira, pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), está criando polêmica dentro da própria entidade. Sérgio Coutinho Nogueira, um dos integrante da Comissão de Doping da CBAt e presidente da equipe Funilense, ficou escandalizado com o resultado do julgamento. "O Brasil está virando campeão mundial de absolvição de atletas acusados de doping. Estamos na contramão", desabafou. Sérgio Coutinho Nogueira observou que nos últimos julgamentos - citou os de Sanderlei Parrela, Marcelo Brivilati, Elizângela Adriano e Fabiane - todos os atletas foram inocentados. "Pode ser uma coincidência infeliz", disse ele. O presidente da CBAt, Roberto Gesta de Mello, afirmou que o Tribunal "é independente" e apenas a primeira instância. "A decisão é sempre da IAAF (Associação Internacional de Federações de Atletismo)", explicou. Roberto Gesta também disse que as críticas não cabem e que Coutinho Nogueira está "equivocado". Ele lembrou que o caso de Sanderlei foi abandonado, o de Brivilati considerado um erro e a pena de Elizângela encurtada, sempre por decisões da IAAF. Fabiane dos Santos, de 25 anos, foi absolvida por unanimidade pelo colegiado do STJD da acusação de doping por resultado positivo para a substância testosterona. Os exames foram realizados no dia 6 de maio, durante do Grande Prêmio Brasil de Atletismo, no Rio. A atleta, que não compareceu ao julgamento, foi inocentada a partir do argumento de seu advogado, o espanhol Josep Maria Mir, de que havia uma discrepância entre as quantidades de hormônio detectadas nas amostras A e B de urina - a primeira continha quase a metade da testosterona em relação à segunda. O advogado colocou o processo de análise da amostra do laboratório de Montreal sob suspeita. Segundo o manager Miguel Mostasa, o veredicto dá a Fabiane a esperança de que seja absolvida também pela IAAF, em reunião marcada, em princípio, para o dia 28, e possa voltar a competir - até o pronunciamento da entidade a atleta continua suspensa.

Agencia Estado,

12 Março 2002 | 18h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.