Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Cielo comemora retorno às piscinas: 'Estava sentindo falta'

Última vez em que o nadador disputou uma prova de alto nível foi justamente na edição 2016 da competição

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

04 Maio 2017 | 19h02

Maior nadador da história do País, Cesar Cielo voltou às piscinas nesta quinta-feira e ficou apenas em terceiro lugar na prova dos 100 metros livre. Mas o resultado na prova que não é mais de sua preferência animou o atleta para as disputas dos 50 metros borboleta e dos 50 metros livre, que ele disputará nesta sexta e no sábado no Troféu Maria Lenk, no Rio de Janeiro.

Sem disputar uma competição de alto nível desde o Maria Lenk do ano passado, Cielo disse que a prova desta quinta serviu mais para ele matar a saudade das piscinas. "Eu estava sentindo falta. Não nos 100 livre, mas eu sinto falta dessa adrenalina pré-prova, daquela tensão que a gente sente, do desafio. É bom estar de volta", declarou.

"Estou contente com o resultado, acho que (nadar na casa dos) 48 com dois meses de treino eu não posso reclamar. Tenho que continuar essa evolução e tentar tirar os 21s nos 50, que é meu principal objetivo na competição toda", afirmou o nadador do Pinheiros.

"Os 100m é uma prova que exige um pouquinho mais de repetição, um pouquinho mais de treino. Com 50 eu entro mais relaxado, mais tranquilo. A ideia é baixar o tempo das tomadas que eu tive até agora", explicou Cielo que, mesmo que tenha ficado em terceiro lugar, acabou superando atletas importantes e que estiveram nos Jogos do Rio-2016, como Matheus Santana (4º) e Bruno Fratus (5º).

Ao deixar a piscina, Cesar Cielo cumprimentou o vencedor, Gabriel Santos, colega de Pinheiros e apontado por muitos como seu sucessor nas piscinas. "Como eu não nadei o que eu queria, eu estou contente pelo Gabriel ter baixado meio segundo. É como eu falei antes: eu queria ter a sensação de que cheguei no Pinheiros para adicionar. Não queria ser o cara que suga energia ou que atrapalha", disse Cielo.

Gabriel Santos agradeceu o companheiro. "Estou vivendo um sonho. Tenho que agradecer todas as pessoas que me ajudaram. O Cesar veio para o clube agora, e esse resultado eu tenho que agradecer a ele também. Ele me dá vários toques sobre natação, técnica, virada, chegada. Não é sozinho que eu construo um resultado assim", disse o nadador.

Além da vitória, Gabriel também recebeu os cumprimentos pelo aniversário - ele completa 21 anos nessa quinta, e ao deixar a piscina ouviu o "parabéns a você" de um grupo de torcedores. "Não tinha forma melhor. Fazer o terceiro melhor tempo do mundo, no dia do meu aniversário. Tenho só que comemorar", disse. "Cada melhora me motiva mais. Meu objetivo é (nadar na casa dos) 47, então eu vou treinar muito, tentar representar da melhor maneira possível. Tomara que dê certo para eu ir para o Mundial."

Mais conteúdo sobre:
Natação natação Cesar Cielo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.