1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Circuito de Vôlei de Praia começa em meio a polêmica sobre sexismo

- Atualizado: 15 Fevereiro 2016 | 12h 37

O Circuito Mundial de Vôlei de Praia de 2016 começa nesta segunda-feira em meio a uma grande polêmica. A primeira parada é o Open de Kish, no Irã, competição que conta apenas com chave masculina. Mais do que isso: o governo iraniano tem proibido a presença de mulheres em competições de vôlei, até mesmo nas arquibancadas.

Em outubro, a organização não governamental Human Rights Watch lançou uma campanha mundial cobrando que o Irã pare de proibir as mulheres de assistirem a jogos de vôlei e adote medidas para promover a igualdade de gêneros.

"Desde 2012, o governo iraniano proíbe mulheres e meninas de frequentarem torneios de voleibol, chegando ao ponto de prender mulheres por tentarem entrar nos estádios", disse Minky Worden, diretora de iniciativas globais da Human Rights Watch.

A cobrança, claro, também chegou à Federação Internacional de Vôlei (FIVB). "Está na hora da FIVB agir para acabar com essa discriminação gritante, que viola suas próprias regras e envergonha o esporte", cobrou Worden à época.

A Federação Internacional de Vôlei (FIVB) garantiu à Human Rights Watch que asseguraria a entrada de mulheres no torneio organizado por ela. A entidade, entretanto, tem feito cobranças em suas redes sociais para que a promessa seja cumpria, usando a hashtag #Watch4Women.

O torneio já teve jogos nesta segunda-feira, mas apenas pelo qualifying, fase classificatória. A chave principal, que trai mais público, começa na terça-feira, sem a presença de brasileiros - a exceção é Jefferson, que defende o Catar.

O vôlei é especialmente importante na luta contra a descriminação contra mulheres no Irã porque é esta a modalidade coletiva mais popular no país. No ano passado, a seleção masculina de vôlei de quadra chegou à semifinal da Liga Mundial.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX