Reuters
Reuters

COB pede revisão de resultado em luta de Esquiva Falcão na Olimpíada

Brasileiro foi punido e teve pontuação prejudicada na briga pelo ouro em Londres

Tatiana Ramil, Reuters

17 Agosto 2012 | 18h13

SÃO PAULO - O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) informou ter enviado nesta sexta-feira uma carta à Associação Internacional de Boxe (Aiba) solicitando a revisão do resultado da final do boxe envolvendo Esquiva Falcão nos Jogos Olímpicos de Londres.

"A decisão ocorreu após o COB tomar conhecimento, através de notícias publicadas nos jornais brasileiros, de que o árbitro polonês Mariusz Gorn se arrependeu de ter punido Esquiva Falcão com a perda de dois pontos", disse o comitê em nota.

O brasileiro perdeu a disputa pela medalha de ouro para o japonês vice-campeão mundial Ryota Murata e ficou com a prata na categoria até 75kg. No último assalto, Falcão tomou uma punição por agarrar o adversário, o que prejudicou sua pontuação, e ele acabou sendo derrotado por 14 a 13.

De acordo com informações veiculadas na mídia, após a luta o árbitro polonês admitiu ao oficial brasileiro Jones Kennedy que a punição por excesso de contato físico só foi aplicada porque Gorn achava que o atleta brasileiro não seria tão prejudicado pela punição.

"Tudo indica que houve um erro de interpretação do árbitro, por isso pedimos que a Aiba reveja o resultado final da luta. O COB tem o dever de lutar pelos interesses dos atletas brasileiros", afirmou o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman.

O boxe do Brasil fez em Londres sua melhor campanha em Jogos Olímpicos. Além da prata de Esquiva, o país conquistou duas medalhas de bronze, com Yamaguchi Falcão e Adriana Araújo.

Antes de 2012, o Brasil tinha uma única medalha no boxe, o bronze de Servílio de Oliveira em 1968, conquistado na Cidade do México.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.