Construção do Estádio Olímpico de Pequim cancela férias

Os 2.100 operários empregados na construção do "Ninho", como vem sendo chamado o Estádio Olímpico de Pequim, ficaram sem a semana de férias de Primeiro de Maio, apesar de a maior parte do país parar, informou nesta terça-feira a imprensa local. "O projeto atravessa um momento crítico em termos de dificuldade, já que agora estão sendo soldadas as partes da enorme estrutura de aço", disse Tao Xiaochun, administrador da companhia encarregada do projeto, citado pela Rádio Internacional da China. "Nossos analistas calcularam soluções e estamos construindo um novo milagre nos círculos da arquitetura mundial", acrescentou. O estádio ganhou o apelido porque sua forma lembra a de um ninho. Ele será usado nas cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos de 2008. O Dia Internacional do Trabalho marca um dos três períodos do ano de férias na China. A maioria dos trabalhadores é dispensada, mas cada vez há mais exceções. Os operários encarregados de levantar o "Ninho", cuja construção começou em dezembro de 2003, não são os únicos. Segundo o Xangai Daily, muitos trabalhadores se perguntam se seus chefes esqueceram o Dia Internacional do Trabalho. Eles se queixam de estar fazendo hora extra durante as férias oficiais.

Agencia Estado,

02 Maio 2006 | 06h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.