1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Deivid lamenta sufoco, mas aposta em evolução do Cruzeiro

- Atualizado: 21 Fevereiro 2016 | 10h 46

O técnico Deivid não escondeu a preocupação com o sufoco que o Cruzeiro levou do Tricordiano na noite deste sábado, em rodada do Campeonato Mineiro. Na sua avaliação, o time da capital teria evitado o sofrimento nos cinco minutos finais se tivesse sido mais agressivo ao longo da partida,

"Estou feliz porque a equipe está evoluindo. Começamos a finalizar mais e a tendência é evoluir cada vez mais, mas chateado pelos últimos cinco minutos, em que nós não conseguimos controlar o jogo e sofremos uma pressão desnecessária", admitiu Deivid, ao fim da vitória por 1 a 0, em Sete Lagoas.

Para o treinador, faltou objetividade ao ataque, que poderia tornar a vitória mais tranquila. "Não adianta ter a posse de bola sem ser agressivo. Quero a posse de bola no campo do adversário, temos que ser mais agressivos, chutando, finalizando, tendo oportunidades de gol e isso têm acontecido. Diminuímos um pouco a posse de bola e temos sido mais agressivos", comentou.

"Tem que melhorar a cada dia e não podemos passar esse susto que passamos nos últimos cinco minutos para que a gente tenha o jogo equilibrado, controlar o jogo e sempre vencer", pregou Deivid.

Já a diretoria cruzeirense reclamou do desempenho do árbitro Marco Aurélio Augusto Fazekas Ferreira. Para o vice-presidente Bruno Vicintin, o juiz deixou de marcar um pênalti a favor da sua equipe e ficou devendo cartões amarelos a jogadores do Tricordiano, em razão de faltas que, na sua avaliação, foram excessivas.

"Em quase seis meses como vice-presidente de futebol do Cruzeiro é a segunda vez que vou falar sobre a arbitragem e tenho muito cuidado em falar disso. Na outra vez foi um empate no clássico, em que eu achei que o Cruzeiro foi bastante prejudicado. Claro que o Cruzeiro apoia a arbitragem mineira, que apoiar a renovação do quadro de árbitros, mas para mim foi uma arbitragem mais do que desastrosa", criticou.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX