Dualib: ''''Título foi roubado''''

Ex-presidente admite fraude no Brasileiro de 2005

O Estadao de S.Paulo

31 Dezembro 1969 | 21h00

O ex-presidente do Corinthians, Alberto Dualib, afirmou que o título brasileiro conquistado pela equipe em 2005 foi ''''roubado''''''''. A admissão foi feita em conversa telefônica com Renato Duprat, intermediário da parceria entre a MSI e o clube, gravada com autorização judicial pela Polícia Federal. ''''Nos últimos cinco jogos, nós tínhamos 14 pontos na frente e chegamos, entendeu, um ponto só. Roubado'''', diz Dualib. Ele renunciou ao cargo na sexta-feira. Na conversa, divulgada domingo à noite pela TV Record, Dualib também reconhece que a anulação de várias partidas daquele Brasileiro, por conta do escândalo de armação de resultados que envolveu o ex-juiz Edílson Pereira de Carvalho, foi decisiva. O cartola diz que, ''''se não tivesse a anulação dos 11 jogos'''', o Corinthians não seria campeão. E completa: ''''Porque campeão de fato e de direito seria o Internacional.'''' A afirmação do ex-presidente revoltou o pessoal do Inter - que até hoje reclama de um pênalti claro de Fábio Costa em Tinga não marcado pelo juiz Márcio Rezende de Freitas na partida entre as duas equipes (terminou 1 a 1). O presidente Vitório Píffero reclamou de ter sido ''''roubado na mão grande''''. O ex-presidente Fernando Carvalho pediu investigação. ''''Espero que avaliem bem e, se houver a comprovação, esse título tem que ficar com o Internacional, como ocorreu na Itália.'''''''' No futebol italiano, a Juventus teve cassados os títulos de 2004/2005 e 2005/2006 por causa de um escândalo de acerto de resultados. No Brasil, porém, a conquista corintiana dificilmente será cassada. O procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt, disse ao Estado que ''''é pouco provável'''' que o título de 2005 seja anulado. ''''Se houver alguma prova de que jogos foram comprados, isso será um fato novo... Mas, até agora, não há nada concreto.'''' Schmitt está concluindo relatório sobre o caso MSI-Corinthians, a ser entregue ao presidente do STJD, Rubens Approbato Machado, na quinta-feira. O próprio Machado declarou ontem, no Parque São Jorge, que Dualib será ouvido pelo STJD para informar ''''em que contexto'''' deu aquelas declarações. O presidente do Instituto Brasileiro de Direito Desportivo, Luiz Felipe Santoro, disse que ''''somente essas conversas não são provas suficientes''''.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.