Fábio Motta|Estadão
Fábio Motta|Estadão

Em Saquarema, Yago Dora se apresenta para o mundo

Catarinense que completa 21 anos nesta quinta-feira é grande sensação da competição no Rio de Janeiro

Marcio Dolzan, Rio de Janeiro, O Estado de S.Paulo

18 Maio 2017 | 07h00

A etapa do Rio apresentou ao mundo outra promessa brasileira. O catarinense Yago Dora, que completa 21 anos hoje, foi a grande sensação da competição ao eliminar três campeões mundiais. Ele só parou na semifinal, ao ser batido por Mineirinho.

Dora entrou na disputa em Saquarema após ter passado pela “triagem”, uma seletiva que inclui apenas atletas do país que sedia a etapa e que não estão na disputa pelo título do circuito. Assim, ele era azarão no início da competição, mas fez uma campanha quase irrepreensível e caiu nas graças da torcida.

Logo na terceira fase, Yago Dora eliminou o americano John John Florence, atual campeão do mundo e líder do circuito – um resultado que acabaria sendo bom para Adriano de Souza, que com o título no Rio encostou no rival.  O catarinense voltou a surpreender ao deixar para trás Gabriel Medina, campeão do mundo em 2014, na repescagem e, depois, superar o tricampeão mundial Mick Fanning nas quartas de final.

"Tudo o que aconteceu aqui foi incrível. Vim para cá sem nenhuma expectativa e acabou que eu cheguei bem longe”, disse o surfista, que tinha dificuldades para dar três passos em meio ao público sem que tivesse que parar para atender a pedidos de selfies.

Mesmo com a derrota para Mineirinho na semifinal, ele deixou o mar da praia de Itaúna muito aplaudido. “O vento deu uma virada e não deu para arriscar tanto”, explicou, depois de reconhecer que o adversário fora melhor não apenas naquela prova, mas em toda a etapa.

Mineirinho, por sua vez, elogiou o compatriota. “Yago é um garoto sensacional. Foi muito bacana enfrentá-lo numa semifinal, temos a mesma comissão técnica e eu torço muito para o sucesso dele”, comentou.

A prova mais emocionante de Yago Dora, porém, aconteceu diante de outro brasileiro. A vitória sobre Gabriel Medina veio apenas em sua última onda e só foi conhecida quando os dois surfistas já tinham deixado o mar. E isso que Medina havia retomado a liderança da bateria no último minuto de prova.

“Gosto de disputas assim, onda a onda. Minha estratégia foi de trocar notas e pegar várias ondas”, disse Yago. “Ainda bem que deu certo.” 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.