1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Envolvida em suspeitas de doping e corrupção, IAAF perde mais um patrocinador

- Atualizado: 10 Fevereiro 2016 | 17h 21

Depois de perder o contrato com a Adidas, a Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF, na sigla em inglês) foi informada nesta quarta-feira que a Nestlé encerrará seu patrocínio por medo de ser associada ao escândalo que vem abalando a imagem da IAAF nos últimos meses.

"Esta decisão foi tomada diante da publicidade negativa associada às alegações de corrupção e doping no esporte contra a IAAF", informou a Nestlé. "Acreditamos que isso poderá trazer impacto negativo para nossa reputação e para nossa imagem. Portanto vamos encerrar nosso atual acordo com a IAAF, estabelecido em 2012."

De acordo com o comunicado, a decisão da Nestlé tem "efeito imediato". A empresa vinha financiando o programa de atletismo infantil nos últimos quatro anos. Este é o segundo grande patrocinador a encerrar a parceria com a IAAF. No fim de janeiro, a gigante Adidas, então maior apoiador da entidade que comanda o atletismo mundial, finalizou seu contrato pelo mesmo motivo.

Em nota, a IAAF exaltou a parceria com a Nestlé. "Tivemos um programa bem-sucedido que envolveu 15 milhões de crianças, de sete a 12 anos, em 76 países, e promoveu atividades lúdicas, a saúde e um estilo de vida mais ativo", afirmou a entidade, lamentando o fim da parceria.

A imagem da IAAF vem sendo manchada pelas recentes denúncias de corrupção, sob a liderança da antiga diretoria. Investigação da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) revelou um esquema de corrupção liderado pelo senegalês Lamine Diack, que extorquia atletas flagrados em testes antidoping. Ele também permitiu que esportistas russos continuassem competindo, apesar de pegos com resultados positivos nos exames antidoping.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX