1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Érika Miranda passa à semi e luta por pódio; Chibana cai nas oitavas

AMANDA ROMANELLI - O Estado de S.Paulo

26 Agosto 2014 | 06h 51

Vice-campeã mundial, brasileira do peso meio-leve pode garantir a sua primeira medalha no Mundial de judô de Chelyabinsk, na Rússia

Vice-campeã mundial, Érika Miranda pode garantir ao Brasil sua primeira medalha no Mundial de judô de Chelyabinsk, na Rússia. A meio-leve (até 52 kg) venceu suas três lutas eliminatórias, na madrugada desta terça-feira, e está na semifinal do torneio - os combates começam às 8 horas (de Brasília). 

Andreea Chitu, da Romênia, será a adversária da brasileira por um lugar na decisão, assim como ocorreu no Mundial do Rio, no ano passado. Charles Chibana, que chegou à Rússia como líder da categoria até 66 kg, perdeu nas oitavas de final e ficou fora da briga pelo pódio.

Erika Miranda teve uma estreia tranquila contra Guibadam Babamuratova, do Turcomenistão. A brasileira, sempre no comando da luta, conseguiu o ippon, por imobilização, a 49 segundos do fim do combate. Nas oitavas de final, contra Laura Gomez, a vice-campeã mundial teve mais trabalho. Erika conseguiu o yuko logo no início da luta, e precisou ter controle após receber três punições para evitar a desclassificação - se receber quatro shidôs, o judoca é eliminado da luta. Nas quartas de final, a brasileira enfrentou a chinesa Ying-nan Ma e a vitória veio por novo ippon, por estrangulamento, no minuto final.

Caso volte a superar Andreea Chitu na semifinal, como ocorreu em 2013, Érika pode vivenciar também a reedição da final do Mundial do Rio. Atual campeã do mundo, a judoca Majlinda Kelmendi, do Kosovo, faz a outra semi contra a russa Natalia Kuziutina.

MASCULINO

Charles Chibana, quinto colocado no Mundial do Rio, esperava chegar ao pódio em seu segundo Mundial, mas foi eliminado em sua terceira luta. O brasileiro teve uma estreia tranquila contra o armênio Davit Ghazaryan, vencendo por ippon a 1min44 do fim da luta. 

No segundo confronto, o líder do ranking foi testado pelo sul-coreano Tae-ho Youn. Apesar de ter mantido a agressividade no confronto, Chibana enfrentou a resistência do rival. Com três minutos de luta, o brasileiro pontuou com um yuko, mas Youn conseguiu empatar a 52 segundos, em uma ação de contragolpe. Com a igualdade, o combate foi para o golden score. Chibana só seguiu para a terceira luta porque o coreano recebeu uma punição com 1min10 de prorrogação.

Nas oitavas de final, o brasileiro acabou eliminado por Rishod Sobirov. O experiente usbeque foi bicampeão mundial e duas vezes medalhaste olímpico quando competia na categoria ligeiro, e subiu de peso no ano passado. Em umombate nervoso, Sobirov catimbou o brasileiro. Os dois judocas chegaram ao último minuto de luta com três punições cada, no limite da desclassificação. Mas Sobirov impôs o ippon ao brasileiro, a 26 segundos do fim.