EUA reabrem o Superdome, um ano depois do Katrina

Um pouco mais de 1 ano depois de ter sido destruído pelo Furacão Katrina, que arrasou a cidade de Nova Orleans, nos Estados Unidos, o Estádio Superdome foi reaberto nesta segunda-feira à noite, com uma grande festa e o jogo de futebol americano entre New Orleans Saints e Atlanta Falcons. Nas arquibancadas lotadas, 68 mil pessoas celebraram a reconstrução. O Superdome se transformou num símbolo da destruição de Nova Orleans pelo Katrina, ocorrida no dia 29 de agosto de 2005. Apesar de ter sido seriamente afetado pelo furacão, o estádio chegou a receber milhares de desabrigados por alguns dias - depois, com a estrutura comprometida, teve que ser esvaziado. Agora, numa prova da difícil mas contínua reconstrução da cidade, o Superdome foi reaberto - a obra custou cerca de US$ 185 milhões. E uma grande festa marcou a data. Fora do estádio, a banda Goo Goo Dolls animou os milhares de habitantes que foram às ruas. Depois, lá dentro, foi a vez do U2 e do Green Day fazerem o show para os torcedores. Tudo isso sem contar a verdadeira razão do local: o jogo de futebol americano. Com ventos de 280 km/h, o Katrina causou destruição em toda a região litorânea Sul dos Estados Unidos, provocando prejuízos de cerca de US$ 2 bilhões e muitas mortes. A cidade mais afetada foi Nova Orleans, onde quase toda a população teve que ser evacuada. De volta para casa, o New Orleans Saints joga novamente no Superdome pela temporada regular da NFL, o campeonato de futebol americano, pela primeira vez desde setembro de 2004. Durante a reconstrução do estádio, a equipe disputou seus jogos no Alamodome, em San Antonio, e no Tiger Stadium, em Baton Rouge.

Agencia Estado,

25 Setembro 2006 | 20h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.