Julia Nagy/AP
Julia Nagy/AP

Federação de ginástica dos EUA se desculpa por escândalo sexual e muda política

Entidade americana introduz medidas preventivas para impedir novos casos de abuso sexual

O Estado de S. Paulo

28 Junho 2017 | 10h45

Em meio a um escândalo sexual, a federação de ginástica dos Estados Unidos divulgou um pedido de desculpas em carta aberta, nesta terça-feira, à comunidade esportiva. No centro das acusações está Larry Nassar, antigo médico da seleção nacional. Além das dezenas de denúncias de ex-ginastas por abuso sexual, foi indiciado pelo FBI pela posse de vídeos e fotos de pornografia infantil.

"Mesmo um caso de abuso infantil é demais. A federação de ginástica dos Estados Unidos lamenta muito que alguém tenha sofrido danos durante a carreira na ginástica, e nós oferemos nosso mais profundo pedido de desculpas a qualquer atleta que tenha sofrido abusos ou maus tratos ao participar do esporte. Trabalhando juntos, podemos mover o esporte para prevenir que novos abusos ocorram", divulgou.

O documento, assinado por 21 membros do conselho diretor, explica também que a federação de ginástica dos Estados Unidos promoverá a reformulação de sua conduta de trabalho a partir da orientação de Deborah Daniels, ex-promotora federal que passou boa parte da sua carreira envolvida em acusações de abuso sexual infantil.

Uma das premissas é que todos os membros da entidade norte-americana relatem qualquer tipo de suspeita de má conduta sexual na organização. Além disso, a comunicação de comportamentos abusivos deve ser facilitada e encorajada a partir de mecanismos favoráveis às vítimas e ao empoderamento dos atletas.

A federação de ginástica dos Estados Unidos promete ainda introduzir "políticas pró-ativas para estabelecer fronteiras profissionais entre membros da comunidade, diminuindo as oportunidades de aliciamento e outras interações inadequadas".

"É proibido que adultos membros da entidade fiquem sozinhos com ginastas menores em todos os momentos. É proibido que profissionais sem parentesco compartilhem ou fiquem sozinhos em dormitórios com os ginastas. É proibido que os adultos tenham contato com os ginastas fora das atividades por e-mail, mensagem ou mídias sociais. Novos requisitos estão em vigor em relação ao contato físico entre adultos e ginastas", pontuou.

Em março, o então presidente da federação de ginástica dos Estados Unidos, Steve Penny, sofreu pressão do Comitê Olímpico dos Estados Unidos e pediu demissão. O dirigente foi acusado de ter menosprezado denúncias de abuso sexual nas equipes norte-americanas de ginástica nos últimos meses. Entre as atletas que denunciaram Larry Nassar, estão Jamie Dantzscher, Jeanette Antolin e Jessica Howard - medalhista nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg-1999.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.