Leonardo Soares|Estadão
Leonardo Soares|Estadão

Ferj recorre a oposição do Flamengo para criticar Primeira Liga

Federação do Rio tem posição defendida por Kleber Leite

Estadão Conteúdo

27 Janeiro 2016 | 15h14

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) está empenhada na sua guerra contra a Primeira Liga, da qual Flamengo e Fluminense fazem parte. Nesta quarta-feira, a entidade, comandada por Rubens Lopes, apelou ao ex-presidente do Flamengo Kleber Leite, opositor à gestão de Eduardo Bandeira de Mello, para mais uma vez atacar a Primeira Liga.

Investigado pela Justiça dos Estados Unidos como envolvido no escândalo de corrupção que atingiu a Conmebol e a Concacaf, Kleber Leite assina texto publicado nesta quarta no site da Ferj.

"Tudo errado, a começar pelo título. A Liga número 1, bem-sucedida, que vem colhendo frutos a cada ano, e sem qualquer tipo de embate, é a Liga do Nordeste, responsável pela melhor competição regional do País. Lá, tudo foi construído com inteligência, sensibilidade e competência", começa ele, elogiando a competição nordestina, que também começou sem aval da CBF e venceu a batalha jurídica contra entidade.

Ele continua, atacando a Primeira Liga. "A Liga número 2, esta do tal Sul-Minas-Rio, prefere outro tipo de linguagem, dialogando sempre através da mídia, com a faca entre os dentes. Será que até agora ninguém entendeu que, certo ou errado, não há como caminhar qual não seja pela via da legalidade? Esteja correta ou não a legislação esportiva, não há como fugir dela, e as atitudes quixotescas beiram o ridículo. Como se dizia antigamente, é dar murro em ponta de faca…", escreve Kleber Leite.

O curioso é que o ex-presidente do Flamengo tem um site em que emite opinião sobre temas relativos ao futebol brasileiro. Em agosto do ano passado, ele escreveu: "Recriar o calendário é o primeiro passo para um novo futebol brasileiro. No nordeste, as próprias federações já entenderam o quão benéfica foi a evolução na qualidade dos jogos. Aí, ninguém perde. Todos ganham".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.