Fischer quebra 2º recorde continental

Eduardo Fischer voltou a melhorar um recorde continental no estilo peito, desta vez nos 50 m, com 28s58, hoje, no Sul-Americano de Desportos Aquáticos, em Belém, Pará - já havia batido a marca dos 100 m. Nas eliminatórias de quinta-feira Fischer havia superado também o recorde do campeonato dos 50 m, com 28s82. "Meu objetivo principal é o Mundial de Piscina Curta de Moscou, em abril. Esse desempenho aqui (em piscina olímpica, de 50 m) me deixa otimista para tentar abaixar mais os meus tempos na Rússia", afirma Fischer. O nadador Gustavo Borges, ganhador da medalha de ouro nos 200 m, livre, ajudou hoje, a equipe brasileira a vencer o revezamento 4 x 200 m, no mesmo estilo. O Brasil confirmou o favoritismo ao completar a prova em 7min37s99, com Luiz Lima, Bruno Bonfim e Edvaldo Valério. O Chile foi segundo (7min42s59), seguido da Argentina (7min47s60). Até o momento foram batidos dois recordes sul-americanos e 10 do torneio. O Brasil domina o campeonato, mas o segundo dia de finais, hoje, foi melhor para argentinos e venezuelanos. A argentina Georgina Bardach, de 17 anos, venceu e bateu recorde do campeonato nos 200 m, costas (2min19s68), e 400 m, medley (4min53s43), sua compatriota Cecília Biagioli, de 16 anos, venceu os 800 m livre (8min57s82), tirando o título sul-americano da brasileira Nayara Ribeiro, que ficou em segundo (9min00s96). O venezuelano Erwin Maldonado deixou Luiz Lima, recordista sul-americano, em segundo nos 400 m, livre. A seleção brasileira de pólo aquático masculino ficou com a medalha de ouro, com uma rodada de antecedência, ao derrotar a Colômbia, hoje, por 15 a 4. As gêmeas do dueto brasileiro Carolina e Isabela de Moraes confirmaram o favoritismo na apresentação da Rotina Livre, ao som de Villa-Lobos, com 46,350 pontos. As meninas totalizaram 92.200 pontos na soma com a rotina técnica para ficar com a medalha de ouro. A brasileira Fernanda Monteiro também conquistou a medalha de ouro do nado sincronizado.

Agencia Estado,

15 Março 2002 | 18h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.