1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Governo prevê gasto inicial de R$ 5,64 bilhões com Olimpíada do Rio

Marcio Dolzan e Ronald Lincoln Jr. - Agência Estado

28 Janeiro 2014 | 12h 21

Montante foi detalhado na Matriz de Responsabilidades divulgada nesta terça pela APO

RIO - A Autoridade Pública Olímpica (APO) apresentou nesta terça-feira a Matriz de Responsabilidades dos Jogos Olímpicos do Rio. O documento, que detalha a participação de cada nível de governo (municipal, estadual e federal) no evento marcado para acontecer em 2016, informou que a previsão de gastos iniciais de R$ 5,64 bilhões com obras essenciais para a realização da competição.

Na semana passada, o Comitê Organizador dos Jogos do Rio apresentou o seu orçamento atualizado para a realização do evento em 2016. A previsão de gastos com a organização é de R$ 7 bilhões, bem superior aos R$ 4,2 bilhões que tinham sido anunciados na candidatura da cidade em 2008. Nesse caso, os recursos virão apenas da iniciativa privada - patrocínios, venda de ingressos e repasse do COI, entre outros -, para bancar a operação e a logística da Olimpíada, com itens como, por exemplo, alimentação, acomodação e transporte dos participantes.

No documento divulgado nesta terça-feira, a APO, consórcio público criado para coordenar os três níveis de governo na preparação para 2016, apontou que o montante de R$ 5,64 bilhões em gastos inicialmente previstos para as obras da Olimpíada foi dividido da seguinte forma: R$ 4,18 bilhões por meio de 10 projetos tocados em parcerias com o setor privado, enquanto mais R$ 1,46 bilhão será investido através de 14 projetos executados com investimentos públicos.

A Matriz de Responsabilidades também destacou, em uma das páginas do documento, que o orçamento previsto terá o seu valor atualizado "a cada seis meses e quando necessário, com o objetivo de garantir a transparência do processo e prestar contas à sociedade". Além disso, existe a promessa de que os três níveis de governo anunciem na segunda quinzena de março o plano de antecipação e ampliação dos investimentos federais, estaduais e municipais em políticas públicas alavancados pelo projeto olímpico, como, por exemplo, obras de mobilidade urbana e infraestrutura - a data e o local deste anúncio ainda não foram confirmados.

O documento que lista todas as intervenções necessárias para realização da Olimpíada prevê a execução total de 52 projetos. Ou seja, menos da metade deles (24) já têm orçamento ou custos definidos - a maior parte dessas obras está dentro do Parque Olímpico.

O restante do valor previsto para as obras dos Jogos do Rio, segundo informou a APO na Matriz de Responsabilidades, será divulgado quando os editais de licitações ficarem prontos e forem publicados. Esse é o caso, por exemplo, do Complexo Esportivo de Deodoro, palco de provas de hipismo, ciclismo e tiro, entre outras, que está com a construção atrasada.