Lucas Leiva completa 10 anos de Liverpool, é homenageado e celebra trajetória

O brasileiro Lucas Leiva atingiu uma marca extremamente significativa em um dos grandes clubes do futebol europeu nesta quinta-feira. Há exatos dez anos, ele era anunciado como reforço do Liverpool, de onde não mais saiu desde então. A trajetória foi reconhecida pelo time inglês e celebrada pelo próprio volante.

Estadao Conteudo

11 Maio 2017 | 14h50

Depois de um jantar promovido em sua homenagem pelo Liverpool no mês passado, Lucas Leiva recebeu na última terça-feira o Prêmio Especial de Reconhecimento na cerimônia anual de entrega de premiações aos atletas do clube. E o brasileiro não escondeu a emoção pelo reconhecimento.

"É um prêmio incrível. Estou realmente orgulhoso", disse em nota publicada nesta quinta pelo Liverpool. "Eu só quero agradecer ao Liverpool por me dar a oportunidade de chegar a um clube tão grande. Estar jogando aqui há dez anos é uma conquista incrível para mim. Estou realmente orgulhoso. É especial."

No dia 11 de maio de 2007, o Grêmio anunciou a venda do jovem Lucas Leiva, na época com 20 anos, para o Liverpool por 9 milhões de euros. Já pertencendo ao clube inglês, o jogador foi liberado para disputar a reta final da Libertadores, na qual o time gaúcho seria vice-campeão, e, por isso, só se apresentou definitivamente em junho.

Mas é nesta quinta que o Liverpool comemora uma década de Lucas Leiva por lá, e o brasileiro não esconde que se sente em casa no clube inglês. "O Liverpool é um clube família. Eu fiz muitos amigos especiais e conheci pessoas que serão parte da minha vida para sempre. Por isso, sou muito grato."

Ao longo destes dez anos, Lucas Leiva viveu muitos altos e baixos com a camisa do Liverpool. Chegou à seleção brasileira e teve atuações memoráveis, mas viveu assolado por sequências de lesões que o tiraram de ação por longos períodos. Nesta temporada, atuou em 22 partidas, sendo apenas 12 como titular.

"Parece que estou há muito tempo aqui, mas, para ser honesto, passou muito rápido. Claro, tive momentos difíceis, o tempo passou mais devagar. Mas no geral, foi tudo muito positivo. Aprendi muito e melhorei como jogador e também como pessoa", afirmou o meio-campista.

Mais conteúdo sobre:
futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.