Geovanna Gelan / Instituto Olga Kos
Geovanna Gelan / Instituto Olga Kos

Marcelinho Carioca participa de cerimônia de projeto inclusivo 

Ex-jogador foi o convidado especial para encerrar o projeto 'Taekwondo Sem Barreiras'

O Estado de S.Paulo

16 Abril 2018 | 17h50

Marcelinho Carioca foi o convidado especial para encerrar o projeto "Taekwondo Sem Barreiras" na última semana. O ex-jogador participou da apresentação do programa que inclui 300 participantes com deficiência intelectual e tem o objetivo de inclusão à sociedade por meio da prática esportiva.

+ Reforços do Corinthians passam por exames médicos antes de assinar contrato

+ Polêmica na final do Paulistão ajuda o futebol, diz Marcelinho Carioca

A cerimônia contou com a apresentação de cerca de 50 crianças do projeto na APAE-Diadema. Marcelinho participou da entrega de medalhas e certificados aos participantes, além de assistir uma exibição especial de taekwondo. "Me sinto lisonjeado e feliz de estar aqui. Eu sempre busquei ser uma referência principalmente na parte da educação. O instituto Olga Kos, que promove o projeto, tem um trabalho de socialização com pessoas que são totalmente excluídas da sociedade. Eu sei o que é isso porque já sofri discriminação na infância", conta o ex-jogador.

Marcelinho não ficou apenas nos bastidores, além de garantir a festa das crianças com a sua presença, ele também entrou na apresentação imitando alguns golpes de taekwondo com alunos escolhidos por seus mestres.

O programa de inclusão teve duração de dois anos e conta com o auxílio do Ministério da Saúde, doações e patrocinadores para continuar no próximo ano. "Você vê a expressão facial das famílias pedindo ajuda e é uma questão humanitária ter esse auxilio. A criança praticando esporte trata todo mundo diferentes. Eu conversei com alguns pais e eles mesmo falam que os filhos eram muito agitados e hoje estão disciplinados. A parte comportamental e educacional muda totalmente. Então precisa de auxilio e apoio, pessoas que levantem essa bandeira", conclui Marcelinho.

 

Mais conteúdo sobre:
Marcelinho Carioca futebol Taekwondo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.