Mariany é promessa no tênis de mesa

Todo esporte tem sua promessa. No tênis de mesa, o Brasil começa a descobrir futuros campeões, graças a um forte trabalho de renovação e incentivo às categorias de base. Mas Mariany Nonaka, de 14 anos, deixou de ser esperança para tornar-se realidade e uma das atletas mais vitoriosas da atual geração. Seu objetivo, em cinco anos, é conquistar o título de campeã mundial. ?É para isso que eu treino?, afirma, sem nenhuma modéstia. Quem a conhece, sabe do que está falando. Jogando tênis de mesa desde os nove anos, Mariany incorporou o esporte à sua vida. ?Para mim, treinar e competir é como almoçar ou tomar banho. Faz parte do meu dia-dia?, diz. O amor pela raquete e pela bolinha começou com uma brincadeira. Ia assistir aos treinos do irmão, também mesa-tenista, no Clube Ajab, no Jabaquara, em São Paulo e ficava simulando partidas com os amigos. ?Muitas crianças se interesaram e ficavam em volta das mesas, apenas brincando. Com o tempo, a maioria desistiu, mas eu continuei?, relembra. O treinador Serge Mimura, percebendo seu potencial, a convidou para participar de campeonatos, pelo Ateme São Judas. E Mariany não se assustou, nem mesmo com a rotina de treinamentos, cinco vezes por semana. Tanta dedicação já rende frutos a Mariany: são quatro títulos internacionais, dentre eles o Aberto dos Estados Unidos deste ano e outros excelentes resultados, como o quinto lugar no Circuito Mundial Juvenil em 2001. No Sul-Americano do Brasil, já garantiu a medalha de ouro por equipes e pode conquistar o título no individual. ?O meu maior retorno com o esporte são as conquistas. É o resultado do meu esforço?, afirma, sem esquecer a experiência pessoal que a carreira lhe proporcionou, disputando competições na França, Espanha, Hungria, Peru, Colômbia e Estados Unidos. ?Jamais teria conhecido esses lugares, se não fosse o tênis de mesa?, conta. O surgimento de atletas como Mariany é o resultado do trabalho de renovação feito pela Confederação Brasileira de Tênis de Mesa. A entidade contruiu no ano passado seu Centro de Treinamentos, em Piracicaba (SP), considerado o mais moderno da América Latina. Desde então, os atletas brasileiros não pararam de colecionar medalhas. E o grande objetivo é o ouro, na Olimpíadas de Pequim, em 2008. Por incrível que pareça, essa não é a meta de Mariany. ?Quero ser campeã mundial. Isso porque nas Olimpíadas, nem todos os países estão representados e eu pretendo vencer todos eles, em um Mundial. Posso conseguir, daqui há cinco anos?, promete. O Brasil torce, espera e confia.

Agencia Estado,

09 Agosto 2002 | 19h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.