Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

Medalhistas olímpicos se colocam à disposição para reerguer CBDA

Thiago Pereira diz que momento é crítico e merece atenção especial

O Estado de S. Paulo

07 Abril 2017 | 10h43

Um dia depois da prisão de Coaracy Nunes e de outros membros da Confederação Brasileira de Desportes Aquáticos, um grupo de 13 medalhistas olímpicos da natação brasileira se pronunciou nesta sexta-feira por meio de um comunicado oficial. Nas redes sociais, Thiago Pereira manifestou preocupação: "O momento é crítico e merece uma atenção especial".

"Os medalhistas olímpicos de natação vêm se manifestar preocupados com a grave momento que atravessam os esportes aquáticos em função da intervenção na CBDA e prisão de seus diretores. Na certeza de que a nossa comunidade é forte e resiliente, como são nossos esportes aquáticos, queremos nos colocar à disposição do interventor, senhor Gustavo Licks, para colaborar com o reerguimento da nossa Confederação que precisa de eleições mais democráticas e legítimas com a maior brevidade possível", diz a nota.

O texto é assinado por Poliana Okimoto, Thiago Pereira, Cesar Cielo, Gustavo Borges, Fernando Scherer, Edvaldo Valério, Carlos Jayme, Ricardo Prado, Marcus Mattioli, Jorge Fernandes, Cyro Delgado, Djan Madruga e Manoel Dos Santos.

A Operação Águas Claras, deflagrada pela Polícia Federal, investiga desvios de recursos públicos repassados à CBDA. Além de Coaracy Nunes, foram presos também o diretor financeiro da entidade, Sérgio Ribeiro Lins de Alvarenga, e o coordenador de polo aquático, Ricardo Cabral. Foi também expedido um mandado de prisão preventiva para Ricardo de Moura, superintendente da entidade.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.