Ministério acredita que orçamento de R$ 28 bi não estoura

O orçamento dos Jogos no Rio em 2016 deve ficar dentro dos R$ 28 bilhões apresentados na proposta de candidatura da cidade como sede olímpica, informou ontem o Ministério do Esporte. Mas o detalhamento dos custos ainda não está pronto. O atraso na finalização do projeto foi alvo de cobrança do presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, em Londres. A posição final do Brasil em relação aos gastos em 2016 ainda depende da definição dos projetos básicos e executivos de todas as obras envolvidas na preparação da Olimpíada.

O Estado de S.Paulo

14 Agosto 2012 | 03h04

O Comitê Rio 2016 já havia alertado que o orçamento apresentado teria de ser revisto para cima por conta de adaptações necessárias nas obras e o próprio COB já começou a encontrar justificativas para isso, alertando que a inclusão do rúgbi e do golfe no evento incrementariam os preços. Segundo o secretário executivo do Ministério do Esporte, Luís Fernandes. os valores ficarão dentro do teto previsto. "Todos os nossos estudos até aqui apontam para a manutenção dos valores dentro do que foi estipulado na proposta original."

No fim de semana, Rogge deixou claro que o período de lua de mel entre o Rio e a entidade terminou. "Queremos uma previsão de orçamento o mais rápido possível." Para Rooge, os Jogos precisam ter custos equilibrados. "Vivemos a pior crise em 70 anos. Portanto, os eventos precisam ter um controle de custos, legado e sustentabilidade." O orçamento final só sai em 2013. / ADRIANA CARRANCA e JAMIL CHADE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.