1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Perto de recorde, Fabiana Murer é ouro na Liga Diamante

Agência Estado

14 Junho 2014 | 18h 22

Brasileira derrota campeã olímpica e mundial em Nova York e, com a marca de 4,80 m, assume a liderança do ranking mundial do ano

Fabiana Murer conquistou, neste sábado, uma das melhores vitórias da sua carreira. Em Nova York, passou o sarrafo a 4,80 m para vencer a prova de salto com vara da etapa local da Liga Diamante, o principal circuito internacional de atletismo. É o melhor resultado da temporada em pista ao ar livre e deixou a brasileira a apenas 5 cm do seu recorde sul-americano.

A vitória ganha em importância porque participaram da prova diversas das melhores atletas da atualidade. Fabiana, porém, foi perfeita ao passar 4,50 m, 4,60 m, 4,70 m e 4,80 m, sem errar nenhum salto. Com a vitória garantida, ela tentou 4,90 m, que seria o novo recorde sul-americano, mas falhou nas três tentativas. Em segundo lugar, com 4,70 m, ficou a norte-americana Jennifer Suhr, atual campeã olímpica. A mesma marca fez Yarisley Silva, de Cuba, com o melhor salto dela na temporada - a cubana é vice-campeã olímpica e campeã mundial indoor. Com 4,60 m, a grega Katerina Stefandi, quarta colocada, bateu seu recorde pessoal.

Divulgação
Fabiana Murer não saltava 4,80 m desde 2011

"Estávamos preocupados com a sequência de viagens - Brasil, Roma, Nova York - e as diferenças do fuso, em pouco tempo, mas a Fabiana esteve muito bem", disse o técnico Elson Miranda. "O tempo ajudou. Estava aberto, o céu muito azul e o vento a favor... Tudo contribuiu e ela mostrou que está muito bem."

Sobre as tentativas de salto a 4,90 m, renovaria o recorde sul-americano em posse da atleta desde 2010, Miranda afirmou que ela poderia ter passado na terceira oportunidade. "Na primeira tentativa, a vara ficou fraca. Na segunda, ela passou correndo. Na terceira ela foi bem alto e poderia ter passado, mas caiu em cima do sarrafo... São detalhes da parte técnica do salto com vara, mas ela mostrou que pode saltar bem alto."

Fabiana não escondeu sua alegria pelo bom resultado. "Estou contente demais. Fazia algum tempo que eu não saltava 4,80 m. Na verdade, eu não saltava 4,80 m desde o Mundial de Daegu (Coreia do Sul, em 2011). Foi uma prova ótima para mim, venci e assumi a liderança do ranking mundial numa disputa forte da Liga Diamante. Foi bom também porque eu saltei bem alto nas tentativas dos 4,90 m, o que vai me mostrando o caminho para superar esses 4,90 m", comentou Fabiana.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo