Pinheiros bate recorde sul-americano dos 4 x 50 m livre

Fernando Silva, César Cielo, Jader Souza e Nicholas Santos formaram a equipe de revezamento 4 x 50 m livre masculino do Pinheiros, que bateu nesta quinta-feira o recorde sul-americano do Troféu Brasil de natação (que está sendo disputado no Rio de Janeiro), com o tempo 1m29s11. Este índice supera a marca que estava em vigor desde 2004, quando a equipe composta por Fernando Scherer, Gustavo Borges, Renato Gueraldi e Carlos Jayme havia conseguido o tempo de 1m29s31. Outra marca considerável superada neste segundo dia de finais do torneio foi o de Rodrigo Castro, do Minas Tênis. Ele venceu os 200m livre batendo o recorde do campeonato, que pertencia a Gustavo Borges desde maio de 2005. Rodrigo marcou 1m49s75, contra os 1m50s32 da marca anterior. "Foi o meu melhor tempo nesta prova, nadando no Brasil. Ainda não é o mais baixo que fiz, mas foi muito bom", disse Rodrigo. O dia de provas também teve vencedores em outras categorias. Marieta Uhle (Minas Tênis/MG), ganhou os 200 m livre feminino com 2m03s42; Sara Oliveira (que é portuguesa e compete pelo Pinheiros), venceu os 100 m borboleta feminino com o tempo 1m01s20; nos 100 m borboleta masculino deu Fernando Silva, do Pinheiros, com 53s23; nos 50 m costas feminino a vencedora foi Fabíola Molina (do Fadenp Clube-Esportiva São José/SP), com 29s72; Joanna Maranhão (Nikita-Sesi/PE) ganhou os 400 medley feminino com 4m53s56; Thiago Pereira (Minas Tênis), com o tempo de 4m20s61, foi o vencedor dos 400 medley masculino; e a equipe feminina do Pinheiros (com Flavia Delaroli, Flavia Neto de Jesus, Talita Ribeiro e Tatiana Lemos) ganhou os 4 x 50 m livre feminino, com o tempo 1m43s74. Na classificação do Troféu Brasil, o Pinheiros está na liderança com 1045 pontos. Em segundo vem o Minas Tênis Clube (770), seguido de perto pela equipe da Unisanta (651,50).

Agencia Estado,

07 Setembro 2006 | 17h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.