Por universidade, estrela da natação recusa patrocínios

'Por enquanto, eu ainda acredito que a faculdade é o que vai me fazer uma garota mais feliz', disse Franklin

AE-AP, Agência Estado

11 Agosto 2012 | 13h58

Maior nome da natação feminina nos Jogos de Londres, a norte-americana Missy Franklin afirmou neste sábado, 11, que não pretende se tornar profissional tão cedo. Essa decisão a impede de aproveitar a sua fama de melhor nome da natação feminina na atualidade para ganhar dinheiro com publicidade.

Tudo porque a garota de 17 anos não quer deixar de competir pela Regis Jesuit High School, sua escola em Aurora, no estado norte-americano de Colorado. Além disso, seguir como amadora vai permitir a Franklin ser recrutada pela universidade que ela desejar, dentre aquelas que têm programa de natação. Tornar-se profissional fecharia a porta das faculdades para ela, uma vez que não poderia participar de competições.

"Por enquanto, eu ainda acredito que a faculdade é o que vai me fazer uma garota mais feliz", disse Franklin, em entrevista coletiva ainda em Londres, de onde sairá como mulher a conquistar mais medalhas na Olimpíada. "Eu sei que os meus pais, meus amigos, meus companheiros e meus treinadores querem. Mas nós vamos ter que sentar e conversar sobre isso", avisou ela.

Em Londres, Franklin venceu os 100 e 200 metros costas - este último com recorde mundial - e ajudou a equipe norte-americana a ganhar os revezamentos 4x200m livre e 4x100m medley, além de um bronze no 4x100m livre.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.